Madeireiros reivindicam madeira de assentamentos

Falta de matéria prima compromete produção de móveis.

Representantes do Sindicato dos Moveleiros do Amapá, em reunião com a Promotora de Justiça do Meio Ambiente e Conflitos Agrários, Ivana Cei reivindicam a doação ao Sindimov de toda madeira que foi abatida para instalação dos assentamentos Nova Colina e Nova Canaã.

A proposta da Prodemac é um Termo de Ajustamento de Conduta, dando direito aos moveleiros de ficarem com a madeira desde que a contrapartida seja de ajudar a população dos assentamentos. A Promotora de Justiça Ivana Cei, Titular da Promotoria do Meio Ambiente disse que hoje não se tem a real quantidade de madeira que está caída nos dois assentamentos.

O Ministério Público Estadual propõe que o MPF e Sindimov voltem a reunir para discutir o assunto.

Até agora, os moveleiros não conseguiram autorização para transportar a madeira já que para isso deve constar no processo de solicitação prévia reposição florestal. No entanto, como a madeira já está no chão o MP/AP, propôs que técnicos do IBAMA e Incra façam um levantamento da quantidade de madeira que foi abatida nos dois assentamentos para em seguida reunir com os representantes do Sindicato dos Moveleiros em busca de uma maneira legal de aproveitamento da madeira.