O PREÇO DA TRAIÇÃO
Ruy Guarany Neves

Quando o governo enviou ao Congresso Nacional, a Medida Provisória que prrroga por mais quatro anos, essa “vergonha nacional” chamada de CPMF, a reação contrária a sua aprovação, foi estampada em todos os segmentos da sociedade brasileira, que não aceita mais essa extorsão ao bolso do povo, onde o assalariado de baixa renda, é o mais prejudicado. Liderando o movimento contra a CPMF, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na tentativa de sensibilizar os deputados federais, quanto a inconveniência de aceitarem as imposições do governo, fez chegar à Câmara dos Deputados, um documento contendo mais de um milhão de assinaturas, pedindo a rejeição do ridículo imposto do cheque.

Esquecendo de que foram eleitos para defender o povo, 338 deputados ,30 além do necessário à aprovação da matéria, preferiram virar as costas aos que os elegeram , pouco importando se a CPMF, irá ou não tirar a saúde da UTI, se a “Bolsa Família” continuará matando a fome de milhões de famílias que vivem abaixo da linha da pobreza, causada por um governo sem projetos e incapaz de acabar com a roubalheira no setor público. Importa sim, aos senhores deputados que votaram a favor da aprovação da CPMF, o preço pago pelo voto, onde as emendas orçamentárias e outras benécias ,atendam os interesses de cada um. Segundo divulga a grande imprensa, o preço da aprovação da CPMF, em primeiro turno, atingiu a casa dos 84 milhões de reais. É uma vergonha, que todo brasileiro de bom senso, não pode aceitar, sem protestar.

Para a felicidade de milhões de brasileiros, um número superior a 100 parlamentares, se recusou a compactuar com o “mensalão” do governo Lula, preferindo ficar do lado do povo, como forma de retribuir a sua confiança e honrar o mandato que lhes foi conferido.

Muito embora se reconheça que a luz do fim do túnel está prestes a apagar, ainda resta a esperança de que o Senado Federal diga um “NÃO” ao governo e derrube a MP do CPMF. Quanto aos deputados que disseram “SIM” ao governo e deram um “NÃO” ao povo, so lhes resta aguardar um revez eleitoral, lembrando que a “memória curta do povo” , deu lugar à um sentimento inarredável em torno daquilo que mais lhe interessa. E o CPMF, que constrange, humilha e pratica a extorsão, cujos bilhões de reais arrecadados, ninguém sabe onde irão parar, é repudiado pela sociedade brasileira.