Deputada Janete denuncia “relação promíscua entre público e privado” no Amapá


Brasília, 3/9/2007 - A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) registrou, no plenário da Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira, 3, a denúncia de nepotismo no governo do estado do Amapá revelada em matéria do Jornal O Liberal, do Pará, na edição do dia 31 de agosto (matéria em anexo).

O jornalista Ronaldo Brasiliense estampou matéria de duas páginas denunciando que “Waldez Góes é campeão do nepotismo no país”. Segundo a matéria, 69 familiares do governador estão empregados no governo e levam mais de R$ 2 milhões por ano em salários. O jornal elencou ainda valores recebidos a título de “diárias” por motivo de viagem.

“O trem da alegria da família Waldez Góes se junta ao desvio de R$ 40 milhões da Secretaria da Saúde do Estado para financiar a campanha à reeleição do governador. Na operação Antídoto, 34 pessoas foram denunciadas à Justiça Federal, inclusive, secretários e ex-secretários do atual governo, revelando uma relação promíscua entre público e privado”, discursou a deputada Janete Capiberibe, para protestar contra o desmonte dos serviços públicos no Amapá. “Enquanto isso, faltam até seringas e gaze nos hospitais e postos de atendimento à saúde”, protestou a socialista.

A parlamentar está se destacando na Câmara dos Deputados pelo combate à corrupção, principalmente no estado do Amapá. Desde 22 de março, quando a Operação Antídoto revelou uma quadrilha que agia na Secretaria de Saúde do Estado, a socialista desencadeou uma série de ações manifestando apoio ao trabalho do Ministério Público, da Corregedoria Geral da União e da Polícia Federal.

O PLP 217/2004, de autoria da deputada Janete Capiberibe e do ex-senador João Alberto Capiberibe, foi incluído na pauta de votação da Câmara dos Deputados. Obriga a publicação de todas as contas públicas na Internet e já conta com a adesão de organismos da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, a Associação Brasileira de Imprensa - ABI e a Associação dos Juízes Federais - AJUFE, além de ter sido escolhido como proposta prioritária para votação pela Frente Parlamentar de Combate à Corrupção.


Sizan Luis Esberci