BNDES aprova financiamento de R$ 580 milhões para projeto integrado de mineração no Amapá

O BNDES aprovou financiamento no valor de R$ 580,4 milhões para a MMX Amapá - Mineração e Logística implantar projeto integrado de mineração e de infra-estrutura logística no Estado do Amapá. O financiamento do BNDES equivale a 57% do investimento total de R$ 1 bilhão.

O projeto prevê o desenvolvimento de uma mina e a instalação de unidade de beneficiamento com capacidade de produção anual de 6,5 milhões de toneladas de minério de ferro no município de Pedra Branca do Amapari (AP). Além disso, serão realizados investimentos para reforma e adequação do porto localizado no município de Santana (AP) e da Estrada de Ferro do Amapá que interliga os municípios de Santana a Serra do Navio (AP). O minério, proveniente da Mina Amapá, será transportado pela Estrada de Ferro do Amapá e embarcado para exportação através do Porto Santana, localizado às margens do Rio Amazonas.

O empreendimento será conduzido por duas empresas do grupo MMX: MMX Amapá Mineração Ltda, titular dos direitos minerários da mina de ferro Amapá e proprietária do Porto Santana; e MMX Logística do Amapá Ltda, detentora da concessão da Ferrovia Amapá.

O complexo produtivo (mina e planta de beneficiamento) está localizado a uma distância de cerca de 200 km de Macapá, capital do Estado. O Porto Santana inclui uma estação ferroviária de descarregamento de minério, um pátio de estocagem e a infra-estrutura de carregamento de navios, projetada para a capacidade de 6,5 milhões de toneladas/ano de pellet feed e sinter feed.
Como o porto não possui o calado necessário para receber navios de grande porte, será implantado um sistema de carregamento off shore, em que o minério será carregado em barcaças para posterior transbordo.

O projeto integrado conta com licença ambiental de instalação expedida pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amapá (Sema). Cerca de 650 novos empregos diretos deverão ser gerados com o novo empreendimento.

A MMX Amapá é controlada pela MMX Mineração e Metálicos S.A. (70% do capital social), que, por sua vez, é controlada pelo empresário Eike Batista. O restante do capital social da MMX Amapá (30%) é de titularidade da Centennial Asset Participações Amapá S.A., pertencente a Cleveland -Cliffs Inc., sediada nos Estados Unidos e a maior produtora norte-americana de pelotas de ferro.

A MMX é uma empresa holding de capital aberto, integrante do Novo Mercado da Bovespa.