Corregedoria do MPE vai analisar pedido de afastamento de Pedro Leite.

Macapá, 5/9/2007 - No último dia 26 de agosto, em entrevista ao jornal Diário do Amapá, o promotor do Patrimônio Público do Amapá, Pedro Leite, fez afirmações que, segundo o deputado Camilo Capiberibe PSB denotaram preferência político partidária. Leite disse que a corrupção no Estado estaria “controlada” e afirmou ainda, ao jornalista Cleber Barbosa, que “sou testemunha viva de que o atual governo não tem compactuado e não se compadece de quem faz a coisa errada”.

A declaração do promotor causou estranheza, pois demonstrou que ele estaria defendendo o governo Waldez Góes (PDT). A repercussão se deu em virtude das declarações que acontecerem num momento em que a corrupção está em evidente descontrole com a deflagração de várias operações pela Polícia Federal no Amapá, vide Operação Antídoto que desbaratou uma quadrilha que desviava recursos públicos do setor da saúde.

Após analisar a entrevista, Camilo Capiberibe enviou ofício de nº. 054/07 ao Ministério Público Estadual do Amapá, na pessoa do Dr. Márcio Augusto Alves, solicitando afastamento do promotor Pedro Leite de suas atribuições. Na manhã desta quarta-feira (05), o MPE enviou resposta ao gabinete do parlamentar do PSB, através de ofício nº. 292/2007-GAB/PGJ. Veja o texto do documento na integra:

“Senhor Deputado,

Cumprimentando-o cordialmente, informamos a Vossa Excelência que, nesta data, encaminhamos a Corregedoria-Geral do Ministério Público do Estado do Amapá, o OFÍCIO GAB/DEP/CAMILO/ NR. 054/07, tombado em nosso protocolo sob o nº. 17033/2007, Processo nº. 3003393, para análise.

Atenciosamente,

Márcio Augusto Alves - Procurador-Geral de Justiça



Raul Mareco