Empresários do setor oleiro cerâmico recebem consultoria técnica

O Projeto Pólo Oleiro Cerâmico em parceria com o Sebrae vem capacitando o setor no período de julho a outubro.

Denyse Quintas
Colaboração: Nelma Pires

Durante o período de julho a outubro, O Sebrae oportunizou aos empresários do setor oleiro cerâmico dos municípios de Macapá e Santana, a consultoria técnica de controle gerenciais e financeiros. A atividade faz parte de um conjunto de ações desenvolvidas pelo Projeto Pólo Oleiro Cerâmico, que tem como objetivo promover o aumento da renda das empresas de forma competitiva e sustentável.

Para a gestora do projeto Oleiro Cerâmico do Sebrae, Nelma Pires, contribuir para o aumento de ocupação de pessoas e está vinculada a ação de capacitar dos empresários em gestão empresarial, consiste em elevar a qualidade do padrão gerencial das empresas atendidas pelo projeto, o que garante a competitividade no mercado.

Segundo a consultora Neuma Simões, administradora e especialista em cooperativismo, para atingir os objetivos propostos, se optou, inicialmente, em realizar visitas e entrevistas a empreendimentos cerâmicos e seus proprietários a fim de diagnosticar a forma de como esses controles eram executados diariamente, para que, então, fossem construídos de acordos com a realidade de cada empresa, a ferramenta ideal e de fácil utilização de controle gerencial.

Ao encerrar a consultoria foi lançado um desafio aos empresários para o preenchimento mensal dos formulários de controle gerenciais e financeiros que foram elaborados e entregues na capacitação, visando estabelecer essa prática, e com isso motivar no progresso e senso de administração no empreendimento cerâmico.

De acordo com a consultora, Neuma Simões, “o Pólo Oleiro Cerâmico do Amapá é um empreendimento que chamou a atenção do Sebrae, porque o potencial de desenvolvimento das pequenas e médias olarias é muito otimista, em função do entusiasmo dos oleiros para desenvolver o próprio negócio e o empenho deles, que em geral, envolve toda a família, no trabalho das olarias. Homens e mulheres mergulham no trabalho desde o amanhecer até o anoitecer, daí o setor ser considerado tão promissor para o estado do Amapá”, conclui.