A vida cabocla registrada em filme

Mostra Macapaense de Vídeo traz a história dos ribeirinhos contada pelo seu próprio povo

Os documentários “Alô, Alô Amazônia” e “O Jornalismo Caboclo de Hélio Penafort” foram os dois filmes exibidos na Mostra Amapaense desta quinta-feira (27.09), no Sesc Araxá, programação do 2º Festival Macapá de Cinema e Vídeo. Os concorrentes ao troféu Equinócio desta quinta contam, cada um com seu estilo particular, a vida ribeirinha do povo da Amazônia.

O primeiro, retrata a importância e a interferência social do rádio nas vidas de pessoas simples, moradores distantes das cidades grandes, que encontram no programa de rádio, uma forma simples e eficiente de se comunicar. O segundo é uma biografia do jornalista Hélio Penafort, que com suas raízes caboclas contou e registrou por muito tempo, a história do povo Amapaense, munido de uma linguagem simples, cativante e ao mesmo tempo poética.

Alô, Alô Amazônia foi dirigido por Gavin Andrews. O Documentário foi vencedor da última edição do DOC TV. De acordo com o diretor, o programa Alô, Alô Amazônia funciona como elo entre os moradores do interior do Amapá e nas ilhas Marajoaras de Chaves e Afuá. A vida do caboclo a Amazônia retratada em mensagens de todos os tipos, em busca das pessoas por traz das mensagens e suas histórias, o documentário mergulha na cultura ribeirinha.

O Jornalismo caboclo de Hélio Penafort foi dirigido e produzido pelas então acadêmicas de jornalismo, Gilvana Batista e Tanha Silva, ambas ativas na área da comunicação há anos. Com imagens raras, conseguidas através de um arquivo único e pessoal de um câmera da época (década de 70), as realizadoras mostram o jornalista, poeta e escritor em suas várias facetas, destacando sempre o que ele mais gostava de fazer, seja em rádio, TV ou na escrita: se comunicar e informar. Amigos e familiares deixam suas impressões e lembranças no filme.


Hoje (28/09), a programação do 2º Festival Macapá de Cinema e Vídeo continua. Confira e agende-se:

16h- Mostra Amapaense, na sala Charle Chaplin do Sesc Araxá

“Travessia da Ilusão, de Régis Cavalero”

19h- Cinema Voador, na Rodoviária

Retratos e Borboleta, de Yanko Del pino

Atlântico negro, na rota dos orixás, de Renato Barbiere

20h30- Mostra Competitiva, no teatro das Bacabeiras

Rapsódia para um homem comum, de Camilo Cavalcante

O céu de Suely, de Karim Ainouz

Rita Torrinha