Nova série da Rede Globo provavelmente utilizará em sua abertura imagem do movimento “Xô Sarney”... se ele deixar.

Raul Mareco

Macapá, 23/10/07 - A série “O Sistema”, lançada no dia 17 de outubro em São Paulo, tratará, na ficção, por mais que isto ocorra na vida real, de alguns indivíduos que se sentem excluídos pelo sistema, realizando assim manifestações de teor pacifico em estabelecimentos comerciais e bancários, e tendo como objetivo central uma “guerra” particular contra uma grande empresa multinacional que pode estar envolvida em assassinatos nos últimos 50 anos.

O programa, desta forma, demonstrará ser uma grande conspiração a respeito de alguns fatos que ocorrem no Brasil, muitos deles sombrios, e que são “maquiados” por grandes corporações e até políticos, onde o povo brasileiro fica a mercê da verdade, ou seja, a impunidade que tanto nos assola. Com mostras de que será também uma série noir, “O Sistema”, roteirizado por Alexandre Machado e Fernanda Young, e dirigido por José Lavigne, certamente fará com que a sociedade reflita a respeito da realidade que a cerca, mesmo que o programa atribua à sua essência algumas teorias conspiratórias, que não possuem tanta credibilidade.

Chico Terra - a produção da nova série da Globo está em contato com o fotógrafo profissional Chico Terra, de Macapá, que é quem detém os direitos de uso da imagem do movimento “Xô Sarney”, idealizado nas eleições de 2006, uma forma de protesto a respeito da perseguição que este senador relegou a vários jornalistas amapaenses como o próprio Chico Terra, movimento este que teve repercussão em muitos países. O fotógrafo, com exclusividade, informou que a produção irá utilizar na abertura da série, a imagem do “Xô Sarney”. Após vários processos provenientes de Sarney, Chico disse que “me parece que o jogo começa a virar”.

O programa, que tem sua estréia marcada para o dia 02 de novembro, após o “Globo Repórter”, pode ter duas conseqüências: ou o povo confunde-se de vez, pois tratar de conspirações não é fácil, porque realiza uma miscelânea de informações, ou o povo começa a ser mais consciente sobre sua participação na sociedade, principalmente sua participação política.

Raul Mareco