Congresso internacional de alimentação
escolar reúne 600 participantes em Recife


Uma questão estratégica para o desenvolvimento das nações. Assim a presidente da Associação Brasileira de Saúde e Alimentação Escolar (Abrae), Rosane Nascimento Silva, definiu a alimentação escolar, ao abrir, na manhã de hoje, 29, em Recife, o 3º Congresso Internacional de Alimentação Escolar para a América Latina.
"'Um sonho sonhado por muitos já começa a ser uma realidade', disse, certa vez, um poeta. Conclamo todos os presentes a trabalhar com afinco para ajudarmos os países da América Latina, da África e da Ásia a desenvolverem seus programas de alimentação escolar, como forma de assegurar às crianças o direito humano à alimentação", afirmou o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Daniel Balaban, na abertura do encontro.

Também presente ao evento, Bárbara Belmont, fundadora e presidente da Rede Latino Americana de Alimentação Escolar (LA-RAE) e diretora executiva da Associação Americana de Alimentação Escolar e da Fundação para a Nutrição Infantil, lembrou que, quando foi criada a LA-RAE, a intenção era a de unir líderes e organizações que se comprometessem a disseminar e defender o princípio do direito da criança à alimentação, trocar informações sobre o assunto e conhecer boas práticas desenvolvidas nos diversos países do continente americano. "Ao ver todos vocês aqui, sinto-me orgulhosa do trabalho desenvolvido até agora e confiante nos resultados que teremos pela frente", disse ela.

Ensino médio - Participam do evento 600 especialistas em alimentação escolar, sendo 200 de países da América Latina e dos Estados Unidos. Durante os três dias do encontro, eles irão conhecer e debater as experiências nessa área em países tão diversos quanto a Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Estados Unidos, Jamaica, México, Panamá e Brasil. Na manhã da terça-feira, 30, a ministra da Educação da Bolívia, Magdalena Cajias vai expor a situação da alimentação escolar em seu país e falar sobre realidades políticas para o desenvolvimento de uma política para a alimentação escolar.

Durante o evento, o presidente do FNDE lembrou, ainda, que o governo federal brasileiro está enviando ao Congresso um projeto de lei que pretende estender o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) aos estudantes matriculados no ensino médio. Com a medida, seriam beneficiados todos os 42 milhões de alunos da educação básica, num investimento de R$ 2 bilhões em 2008.