Camilo entrega relatório e Pedro Paulo
garante que tem autonomia para agir.

Macapá, 3/10/07 - Na tarde desta terça-feira (02.10) o deputado estadual Camilo Capiberibe, do Partido Socialista Brasileiro, esteve reunido em audiência com o novo secretário de Estado da saúde, o médico e vice-governador, Pedro Paulo Dias de Carvalho que foi a primeira autoridade a ter acesso ao relatório final da Audiência Pública sobre a situação da rede de atendimento à saúde no Amapá, realizada no dia 26 de abril deste ano na Assembléia Legislativa, atendendo requerimento do deputado socialista.

Além do relatório, o secretário conversou sobre outros assuntos relacionados ao atendimento de saúde. O deputado do PSB disse ao secretário Pedro Paulo Dias que “sinceramente, não confio na capacidade do governador Waldez Góes em resolver o caos da saúde”. Capiberibe reiterou que nada tem contra o secretário, mesmo porque este acabou de assumir o cargo e que torce para que Pedro Paulo vença as turbulências dentro da secretaria de saúde.

O relatório entregue ao Secretario é composto de 120 páginas e reúne todas as denúncias feitas pela sociedade amapaense (que participou em grande número no evento), assim como o relato de autoridades e representantes de associações voltadas ao setor da saúde pública. Além de uma síntese das denúncias e críticas feitas em abril, no relatório vai também a degravação da íntegra da sessão que teve seis horas de duração. A partir desta quarta-feira (03), o documento será oficialmente divulgado e distribuído às autoridades e à sociedade civil.

Camilo Capiberibe disse que entregava o relatório em primeira mão ao secretário como uma maneira de mostrar boa vontade e ajudar mostrando o que pensa a sociedade. O secretário disse ao deputado que “o governador Waldez honestamente alocou os recursos para a SESA, porém, o problema todo estava na condução mal arranjada”, no caso, pelos ex-secretários de saúde, entre eles, três presos pela PF e a última indiciada pelo Ministério Público Federal.

Enfatizando que está realizando um ‘choque de gestão’, através da exoneração de funcionários que não cumpriam suas obrigações (mais de 30 já perderam o cargo), o secretário ainda sustentou que “eu tenho força política para gerir a SESA tecnicamente”, e que “nada será feito com emoção”. Pedro Paulo disse isso salientando que anteriormente “forças obscuras” impunham seus interesses na Saúde.

Secretário Ameaçado - solícito e mostrando interesse no relatório apresentado pelo socialista, o Dr. Pedro Paulo, numa grave denúncia, admitiu estar recebendo ameaças. “Em determinados momentos, me posiciono contrariamente a certos interesses e chego a sofrer ameaças através de meu telefone celular”. O Secretário disse que iria usar das informações do relatório para tomar decisões na Saúde e, quanto às denúncias feitas por entidades em abril, disse, respondendo a questionamentos do deputado do PSB sobre o TFD, que os problemas decorreriam da utilização abusiva da parte de pessoas que não tem necessidade de lançar mão do programa do Governo Federal. “Há dificuldades até no processo dos TFD’s. Agora, todos os documentos solicitando a ida de pacientes até outras unidades federativas para tratamento, serão detalhadamente analisadas por mim”.

Combate à dengue - ao final da conversa, o deputado do PSB ouviu ainda do secretário de saúde que está sendo construído desde já um plano efetivo de combate à dengue, o que deixou o socialista “mais tranqüilo”, pois este confessou que teme pela saúde de sua família que “já sofreu bastante com a epidemia de dengue que assolou o Amapá”. O Secretario de Saúde disse que é “essencial que todas as prefeituras se unam e é preciso investir também na conscientização da população, pois a dengue está vindo com mais violência ainda”, completou Pedro Paulo. O vice-governador confirmou ainda que usará das informações do relatório da Audiência Pública para atacar os principais fatores que estão causando problemas na saúde pública.

Raul Mareco