O chaveiro da matrix divina
Élcio JS Ferreira

Há uma mensagem séria e muito teosófica no filme matrix (inclusive no reload).
O chaveiro é uma figura alegórica e simbólica muito importante, pois abre as portas, que são muitas inclusive. Na vida, todos temos portas para serem abertas e outras, que já encontramos abertas para passarmos por elas, entretanto, às vezes, essas que encontramos abertas, são passagens estreitas ou largas que nos levam por caminhos diversos. Uns pouco claros, outros luminosos, alguns perfeitamente retos ou curvilíneos, outros muito sinuosos e demorados. É importante estarmos atentos às chaves que o Grande Arquiteto do Universo coloca em nossas mãos e identificarmos as portas à serem abertas, e das que encontramos abertas, quem foi o chaveiro responsável por suas aberturas. As chaves e as portas são decifrações universais da nossa sabedoria humana, imagem e sememelhança divinas. Muitos são os caminhos que o homem pode trilhar, mas poucas são as portas do labirinto que levam à luz, à iluminação da alma. Cada escolha é um destino na matrix da vida, onde, algumas portas se pode abrir, outras se fecham, e algumas nunca serão abertas. DEUS é o destino, é a iluminação da alma. Sua busca, é incessante e deve ser sempre, objeto de nossas reflexões humanas. A busca da perfeição Divina, é o alvo humano de nossas semelhanças e imagens, com o Grande Arquiteto do Universo. Busquemos os chaveiros, as chaves e as portas para DEUS, e assim, encontraremos a iluminação do nosso espírito.