Debate

Professores do sistema modular cobram condições de trabalho no interior

Os educadores do ensino fundamental e médio do Sistema de Organização Modular de Ensino (Some) estarão reunidos nesta segunda-feira (8), a partir das 14h, na sede campestre do Sindicado dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap) para discutir entre outros assuntos, as condições de trabalho que a classe vem enfrentando no interior no Estado.
O Sinsepeap deve buscar junto a Secretaria de Educação do Estado (Seed), medidas que possam melhorar o desenvolvimento educacional nos municípios que atuam com o ensino modular.

Entre as reivindicações dos cerca de 600 professores está a construções de alojamentos mais adequados, criação de uma coordenação político-pedagógica, estruturação física das escolas, falta de material didático e pedagógico entre outras dificuldades sofridas pelo professores.

Some
O ensino modular funciona no Estado desde 1995, sua proposta de implantação da educação rural é garantir a continuidade dos atendimentos e a expansão do ensino médio nos municípios. Um dos objetivos específicos para o inicio deste trabalho, foi proporcionar uma meta de ações voltadas para o desenvolvimento alternativo às medidas educativas e assim buscar superar as dificuldades deste processo educacional e cultural dos municípios.

OBS.: A sede campestre do Sinsepeap fica na Rodovia JK.
Lorena Kubota