Marcha de repúdio à violência contra a mulher
reuniu quase 6 mil pessoas

A primeira marcha de mulheres santanenses denominada “Marcha das Josis”, ocorrida no sábado, 08, reuniu cerca de 6 mil pessoas. O objetivo foi alertar as autoridades públicas do Estado à questão da violência contra as mulheres em Santana. A vereadora Ester de Paula (PDT), uma das organizadoras do movimento, garantiu que de janeiro à maio deste ano foram registrados quase 1,5 mil casos de violência contra as mulheres santanenses. O assassinato brutal da professora Josicléia Guimbal Borges, 30, pelo próprio marido, Joamir Bararuá Guerreiro, em agosto deste ano, chocou a cidade, e estimulou a denúncia de novos casos de violência contra mulheres. O ator global Pedro Furtado, 19, o “Fred”, da novela “Mulheres Apaixonadas”, exibida recentemente pela Rede Globo, também participou da marcha em defesa das mulheres. A vereadora Éster de Paula, destacou que “Mulheres Apaixonadas” fez com que as mulheres a perdessem o medo e a vergonha de denunciar agressões, muitas delas, violências que sofriam há tempo. A “Marcha das Josis”, ganhou adesão de estudantes, professores, igrejas, movimentos sociais e até de homens que participaram da caminhada em solidariedade às mulheres.

APOIO- A programação recebeu apoio também do Governo do Estado e da Prefeitura de Santana. “A marcha reuniu mulheres de vários partidos políticos, de diversos segmentos da sociedade. O objetivo era o mesmo repudiar atos criminosos contra a mulher”, frisou a vereadora Éster de Paula.

O ator Pedro Furtado repudiou a violência contra as mulheres e alertou, “Igual ao Fred que conseguiu ajudar a Raquel, na novela “Mulheres Apaixonadas”, peço que as mulheres que são vítimas de agressões, saiam do anonimato e denuncie; que familiares e amigos ajudem a denunciar os abusos de violência”. O ator tem consciência que as novelas tem um papel social muito forte no cotidiano das pessoas, principalmente pela influência com que a televisão exerce nos lares brasileiros. Pedro Furtado garantiu que ficou feliz em vir ao Amapá contribuir com uma causa tão nobre: a luta em defesa das mulheres, vítimas de violência ou abuso.

Para o governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), que também caminhou com as mulheres santanenses, a violência contra a mulher é um ato vergonhoso, que deve ser repudiado por todos. “Os homens tem a obrigação de apoiar esse tipo de movimento. Enquanto governador desse Estado, sempre estarei apoiando as mulheres e lutando pela punição dos culpados”.

Waldez Góes deixou claro que o Governo do Estado não medirá esforços para mudar esse quadro. “É propósito nosso reforçar e capacitar cada vez os organismos de segurança que trabalham em defesa e proteção das mulheres no Amapá”. Waldez afirmou que a questão da violência contra a mulher não era novidade para ele, porém os índices eram preocupantes.

DIREITOS- Ester de Paula lembrou que a violência contra a mulher não é apenas física, mas principalmente psicológica, sexual, econômica ou financeira. A vereadora garantiu que uma das bandeiras de luta da mulher santanense será a criação da Secretaria Municipal dos Direitos da Mulher. Ela diz que hoje Santana, detêm rankings extremamentes negativos entre eles: a taxa do maior número de adolescentes com gravidez precoce; e o município com maior índice de violência contra a mulher no Estado. A vereadora disse que Santana precisa entre outras melhorias de uma Delegacia de Polícia Civil com infra-estrutura necessária para atender a demanda. Qualquer mulher que eventualmente for vítima de violência pode fazer a denúncia por telefone e seu nome será mantido no mais absoluto sigilo. Os principais telefones são:

- Juizado da Infância e Juventude e Delegacia de Crimes Contra a Mulher de Santana (281 - 1346)

- Secretaria Municipal de Saúde (314 - 1048)

- Diagnóstico da Saúde da Mulher (314 - 1046)

- Agência de Promoção da Cidadania (212 - 4103)

- Secretaria de Estado da Educação (212 - 5104)

- Delegacia de Crimes Contra a Mulher/Macapá (212 - 8126/212 - 8127)

EDY WILSON SILVA


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.