Secretário de Saúde escarece sobre o TFD

Recebemos do secretáriode Saúde do Estado, Uílton Tavares o seguinte e-mail

"Boa noite Correa Neto.

Gostaria de dar alguma s explicações sobre o comentário de sua coluna Geléia Geral do dia 07/01 sobre TFD:

O Programa de TFD existe há muito tempo e está sofrendo uma substancial reformulação pela SESA principalmente no que diz respeito a avaliação médica de retorno do paciente encaminhado para qualquer destino quando em tratamento fora do estado; isso representa que o médico que preenche a guia de encaminhamento para TFD deverá OBRIGATORIAMENTE receber o paciente quando do seu retorno, e o paciente deverá apresentar resultados de exames, relatório dos procedimentos cirúrgicos realizados e quais os procedimentos que os médicos locais ( da especialidade ligada a esse paciente) deverão fazer para dar continuidade no tratamento aqui em nossa cidade (caso possa ser dado continuidade); isso parece ser óbvio no entanto há muito não estava acontecendo; o paciente ficava totalmente ligado através de um cordão umbilical ao médico ou serviço médico de fora e, quando do seu retorno para Macapá, sequer sofria qualquer reavaliação pelo médico que o encaminhou para fora do estado; muitas vezes o tratamento que inicialmente não poderia ser realizado em nosso estado agora já pode ser feito devido a chegada de vários profissionais especialistas nas mais diversas áreas da medicina inclusive com a aquisição de equipamentos de tecnologia médica e laboratorial pela medicina privada e pelos laboratórios de análises clínicas; muitas vezes o valor de exames e/ou procedimentos médicos e/ou de terapia na praça local é cerca de 60 a 70% mais barato do que fora do estado visto que a SESA tem que arcar com passagens aéreas para o paciente e acompanhante além do pagamento de ajuda de custo para locomoção e alimentação; em relação as passagens aéreas, estaremos realizando uma nova licitação com empresas locais para fornecimento dessas passagens visto que o contrato acabou em 31 de dezembro mas nem por isso os pacientes que são prioridade para o programa estão deixando de viajar. Esclareço que o PTFD tem como prioridade os pacientes que realizam Radioterapia em Belém, pacientes pediátricos que realizam tratamento para Leucemia, em Belém ou SP, pacientes que estão com cirurgia agendada para transplantes ou seus prováveis doadores; procedimentos cirúrgicos ou internação clínica em outros hospitais de fora do estado para pacientes internados na nossa rede de hospitais; pacientes que necessitam realizar procedimento cirurgico cardiológico onde exista risco de vida iminente e que não seja realizado aqui em Macapá; pacientes que necessitam de implantação ou troca de protéses ortopédicas, cardiológicas e outras de dificil aquisição pelo SUS cuja oportunidade não se pode perder, cirurgias oculares cujo custo em Macapá é mais alto que fora do estado e mais algumas situações que não me recordo agora.

Gostaria tambem de esclarecer que vários pacientes estão com CONSULTAS DE ACOMPANHAMENTO E/OU REALIZAÇÃO DE EXAMES agendadas para o mes de janeiro/05 e que somente serão autorizadas quando o paciente retornar ao médico que iniciou o tratamento (aquele que preencheu o primeito TFD) para que ele realize uma reavaliação clínica e encaminhe relatório médico para a JUNTA MÉDICA DO TFD ( composta por 05 médicos a partir deste mes de janeiro) informando se o paciente REALMENTE AINDA NECESSITA de TFD.

Nossa intenção é desqualificar os casos desnecessários ( que de alguma forma estava autorizado) e agilizar as autorizações e agendamentos para aqueles pacientes que realmente estão necessitando do TFD.

No que diz respeito a passagem de acompanhantes, estamos autorizando para menores de 18 anos; pessoas idosas acima de 60 anos e para pacientes que possuam lesões incapacitantes ou limitadoras de movimentação;
pacientes que irão realizar exames e/ou procedimentos que necessitem de acompanhante (onde a decisão é médica e nunca do paciente e/ou seu familiar).

Toda e qualquer outra situação que não esteja enquadrada nas acima descritas, quando tiverem seus TFDs autorizados pela JUNTA MÉDICA DO TFD, viajarão sem acompanhantes.

Estamos reorganizando o TFD para garantir o atendimento de uma maior clientela, sem previlegiar ou discriminar ninguém; apenas queremos aplicar a justiça social.

Temos certeza que vamos contrariar muitas pessoas que vão perder certos previlégios mas infelizmente essa é a nossa obrigação.

Estarei pronto para dar mais informações caso seja necessário.

Um grande abraço e saúde.

Uilton Tavares".




Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.