Algo de novo está acontecendo no PT

A chapa "Mensagem ao Partido", que lançou José Eduardo Cardozo, é uma das mais governistas na disputa do PT. Mesmo assim, ele bate de frente com o atual presidente, Ricardo Berzoini, o nome preferido pelo Palácio do Planalto. Segundo ele, as diferenças estão no debate interno do partido.

*O foco central de sua campanha é o ataque à atual direção do PT. Por quê? *

Nossa divergência central é a questão do partido. A democracia interna, a política de alianças do partido, a questão da ética, dos movimentos sociais. Temos assistido a uma confusão muito ruim entre governo e partido. Dirigentes partidários são porta-vozes do Palácio do Planalto e o PT se transformou em um braço instrumental do governo. O partido tem o dever de sustentar seu governo e propor políticas que façam esse governo avançar. O governo é composto por muitas forças políticas e o PT é uma delas. Cada um tem de ter seu papel. A política de alianças é um exemplo. O governo tem de fazer as alianças necessárias à sua sustentação, que são amplas. O partido tem outra dimensão e suas alianças não têm de refletir as do governo. O PT tem de se aliar a partidos de centro-esquerda. O que nós temos visto é o partido reproduzir as alianças de seu governo e perder a identidade de um campo de esquerda no país.

*Esses partidos formaram um bloco para enfrentar o PT nas eleições municipais. *

É um equívoco, em larga medida provocado por um erro nosso. Nós nos distanciamos desses partidos. Não tem sentido haver um bloco de esquerda sem o maior partido de esquerda. É um erro de condução da direção partidária.

*Na sua chapa há três ministros --- Tarso Genro (Justiça), Fernando Hadaad (Educação) e Guilherme Cassel (Reforma Agrária). Por que sua eleição faria o governo interferir menos no PT? *

Nossa postura política é muito clara. As pessoas que vão estar como dirigentes partidários sabem do seu papel, que é diferente do que têm como ministros. O problema é quando há confusão entre os papéis.

*Essa confusão leva o governo a respeitar menos o PT? *

O PT respeita menos o governo, enquanto pluralidade de forças políticas, do que deveria. E o governo respeita menos o PT do que deveria, enquanto força política fundamental para sua sustentação.

*O PT perdeu sua identidade? *

O PT tem sua identidade passada, mas este momento de dificuldade que passamos levou ao abatimento dos militantes e ao afastamento dos militantes ideológicos e das pessoas que construíram o partido. O partido precisa de um novo modelo de direção que permita manter sua identidade e revitalizar sua ação. Temos de rediscutir a democracia interna do PT. Há muito tempo que um pequeno grupo de pessoas discute as políticas, toma as decisões e impõe ao partido a linha a ser seguida. Os nossos encontros se transformaram em cerimônias de levantamento de crachás. Esse processo afasta o militante que quer ser ouvido. Cada vez mais o PT perde seus militantes e acontece a captura de filiados para servir de instrumental bélico interno na hora das votações de candidaturas.

*O PT tem seus currais eleitorais?*

Exatamente. Sai o militante ideológico e entra o militante pago, contratado que não tem identidade com o partido. Isso é colocar fora o potencial ideológico do PT e transformá-lo em um partido convencional e conservador. As minorias partidárias não podem ser massacradas. A direção não tem a verdade única. Precisamos de mais transparência nas finanças partidárias. Nós defendemos o orçamento participativo nos estados e o PT não tem clareza em seu orçamento. O caso Delúbio Soares é um exemplo de uso equivocado dos recursos do PT. O partido não discutiu aquilo. (GK)

_* Apoio*_

* João Paulo, Prefeito do Recife, apóia José Eduardo Cardozo*

"Tenho completa afinidade com a plataforma do movimento Mensagem ao Partido, que tem o compromisso de restaurar a história do PT, retomando o trabalho nos núcleos de base, a relação com os movimentos sociais e sindicais, os intelectuais, resgatando a esperança em uma sociedade justa, socialista e democrática. E para concretizarmos essa proposta é importante o nosso apoio e esforço para elegermos José Eduardo Cardozo, presidente do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores. Um companheiro de muitas lutas e de firmeza nos seus propósitos de construirmos um PT renovado e ainda mais forte junto ao povo brasileiro".

*João Paulo Lima e Silva
Prefeito do Recife*