Tribunal do Júri condena réu a 19 anos e 6 meses de prisão em Laranjal do Jari/AP


No último dia 8 de novembro ocorreu no município de Laranjal do Jarí-, o júri popular envolvendo os réus Welligton dos Santos Barros, vulgo "Neguinho", e Francivaldo Moura Braga, vulgo "Neném", acusados do crime de homicídio qualificado, tendo como vítima Edison Pereira Jardim.

Atuou na acusação o Promotor de Justiça da Comarca de Laranjal do Jarí-AP, Dr. Horácio Luís Bezerra Coutinho, e, na defesa do réu o Defensor Público Dr. Valdemir Marvulle, ficando a Presidência do Júri sob a direção Dr. Carline Regina N. C. Nunes, Juíza de Direito da Comarca de Laranjal do Jarí/AP.

Ao final, o Conselho de Sentença, por maioria de 5 X 2 votos, considerou o réu Welligton dos Santos Barros, vulgo "Neguinho", culpado pela morte da vítima Edison Pereira Jardim, além dos delitos de formação de quadrilha e porte ilegal de arma, tendo sido condenado a uma pena total de 19 (dezenove) anos e 06 (seis) meses de reclusão em regime inicialmente fechado. Quanto ao réu Francivaldo Moura Braga, vulgo "Neném",foi absolvido pelo Conselho de Sentença por 6x1 em relação ao crime de homicídio contra a vítima Edison Pereira Jardim, mas foi considerado culpado pelos crimes de formação de quadrilha e porte ilegal de arma, condenado a uma pena total de 03(três) anos de reclusão, em regime aberto.

O Ministério Público destacou a importância do julgamento, que, segundo o Promotor de Justiça, demonstra que a sociedade não mais aceita a violência que assola o nosso país, e em especial a cidade de Laranjal do Jarí/AP.

O crime aconteceu no dia 20 de março de 2006 no município de Laranjal do Jarí (Processo- Crime nº 1.637/2006). Os réus foram acusados dos crimes de formação de quadrilha e porte ilegal de arma.