Sebrae doa meia tonelada de alimentos arrecadados pela Caravana Itinerante

Os alimentos foram arrecadados no ato das inscrições dos cursos e oficinas ofertados na Caravana realizada pelo Sebrae no Vale do Jari.

De Laranjal do Jari
Denyse Quintas

As inscrições para participação nos cursos e oficinas ofertados pela Caravana Sebrae Itinerante, realizada nos municípios de Vitória e Laranjal do Jarí, foram efetivadas mediante a doação de 1kg de alimento não perecível, para ser entregue a famílias e entidades carentes nas próprias localidades.

Em Vitória do Jari os alimentos foram entregues à assistente social do município, Elza Joaquina, pela gerente da Unidade de Atendimento Individual, Karina Brito. A assistência social tem a triagem dos mais necessitados. Em Laranjal do Jari, a gestora da Caravana Sebrae Itinerante, Rosimar Monteiro entregou os alimentos à Casa Espírita dos Lúcios, entidade sem fins lucrativos que atende 450 famílias carentes dos Loteamentos Sarney, Maria de Nazaré Mineiro e Cajari.

Segundo o agente administrativo do Serviço Social do Comércio (Sesc) em Laranjal do Jari, Andson Nascimento, estão abrigados na Casa Espírita drogados, alcoólatras, entre outros. “A doação será muito bem vinda, pois diariamente, às 18h, é servido um sopão a essas famílias, na Avenida São João, s/n, Prosperidade”, informou.

Para a assistente social do município de Vitória do Jari, Elza Joaquina, os serviços ofertados pelo Sebrae vêm estimulando a mudança na realidade e a situação social de famílias carentes. “Nossa esperança é vê-las iniciar um negócio em cooperativa ou associativismo para comercializarem seus produtos, gerando renda, sem precisar de doações. Esse é o sonho da minha equipe e de muitas pessoas. Temos certeza que essa semente plantada pelo Sebrae será regada e colheremos muitos frutos”, disse.

Em Laranjal do Jari a equipe do projeto Mesa Brasil do Sesc foi parceira do Sebrae para identificar a entidade carente que recebeu os alimentos arrecadados pela Caravana Sebrae Itinerante. O Mesa Brasil trabalha o reaproveitamento de alimentos que não são mais utilizados para comercialização, mas podem ser consumidos. O objetivo é contribuir com os abrigos, creches e entidades que não recebem nenhum tipo de recurso no município.