Consultoria ambiental para recuperação de áreas degradadas apresenta os primeiros resultados

Cerca de 27 olarias estão participando da consultoria técnica

Fernanda Picanço
Colaboração: Nelma Pires
Foto: arquivo Sebrae

Desde o início deste ano, o Projeto Oleiro Cerâmico, coordenado pelo Sebrae/AP, vem disponibilizando, sem custos para os empresários do setor dos municípios de Macapá e Santana, consultoria técnica necessária à implantação dos projetos de recuperação de áreas degradadas para vinte e sete olarias localizadas na área do entorno das bacias do Igarapé da Fortaleza, Elesbão e do Rio Matapí.

A ação faz parte de um acordo firmado com o Ministério Público do Estado do Amapá, com o objetivo de promover o licenciamento ambiental das indústrias associadas à Cooperativa dos Oleiros Cerâmicos do Amapá - Cooceap e está sendo realizada pelo consultor ambiental do Sebrae, Fábio Barreiros.

Segundo informações contidas no Relatório de Monitoramento Ambiental apresentado pelo consultor, que demonstram as ações em execução para o cumprimento do Relatório de Controle Ambiental (RCA), encaminhado pelo Sebrae ao MPE, no que se refere à recuperação de áreas degradas pelas atividades do setor oleiro cerâmico, houve melhoria considerável no cumprimento das recomendações técnicas para recuperação ambiental por um número maior de empresários desse segmento econômico.

Outro resultado altamente satisfatório diz respeito ao impacto positivo que a consultoria vem alcançando no que tange a re-utilização das cavas (buracos abertos no chão provocados pela extração de argila) em atividades de baixo impacto, como por exemplo, a piscicultura, que promovem à melhoria ambiental e contribuem para a geração de renda para a comunidade.

Segunda a gestora do projeto Oleiro Cerâmico do Sebrae, Nelma Pires, “a ação é um compromisso e uma responsabilidade com a sustentabilidade do meio ambiente, com a sobrevivência das micro e pequenas empresas e com o desenvolvimento econômico e social do estado do Amapá”, destaca.