Amapá vai receber R$ 7, 4 milhões
para investir na penitenciária

Investimento inclui a construção de um novo presídio com capacidade para 200 presos

O Amapá deverá receber até o final deste ano cerca de R$ 7, 4 milhões para investimento no Sistema Penitenciário Estadual. O recurso será liberado pelo Ministério da Justiça, por intermédio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). A informação é do coronel da PM, Walcyr Alberto Costa Santos, diretor-presidente do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen). O diretor assegurou que nos próximos dias será assinado um convênio entre o Ministério da Justiça e a Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), no Amapá para garantir a liberação dos recursos.

Segundo o diretor, os recursos são referentes ao orçamento de 2007. Segundo ele, contemplam projetos propostos pela direção do Iapen ainda este ano.

OBRAS

O diretor do Iapen ressaltou que conforme os recursos sejam liberados, o Governo do Amapá, via Sejusp vai poder abrir licitação para as obras de construção de um Presídio de Segurança Máxima, com capacidade para 200 detentos, reforma do prédio do Iapen, compra de um micro ônibus e de material para o Centro de Excelência (Escola do Servidor Penitenciário), instituída recentemente.

As obras deverão iniciar em 2008, e segundo o diretor do Iapen, vão permitir maior infra-estrutura e comodidade aos presos. O novo Presídio de Segurança Máxima, que será construído em uma área anexa ao Iapen, vai garantir melhor distribuição dos presos, principalmente os detentos do pavilhão de segurança máxima que posteriormente serão transferidos para o novo Presídio. “A aprovação dos nossos projetos no Ministério da Justiça foi fundamental para assegurar a vinda dos recursos”. Em 2006, o Amapá perdeu recursos para investir no Iapen por falta de projetos e de iniciativas de parlamentares amapaenses em Brasília, completou o diretor.

ESTATÍSTICA

Walcyr Santos disse que atualmente o Iapen dispõe de aproximadamente 1, 8 mil detentos. Desse total apenas 4% são mulheres. A estatística penitenciária mostra ainda que 68% dos presos tem idade entre 18 e 29 anos e 84% tem escolaridade máxima até o ensino fundamental completo. Walcyr também adiantou que 60% dos presos são amapaenses, 30% paraenses e 6,3% procedentes do Estado do Maranhão. Segundo ele, 74% dos crimes foram cometidos em Macapá, 13% em Santana, 4% em Laranjal de Jari e 3,5% em Oiapoque. A pesquisa mostra que 39% dos presos são evangélicos e 44% católicos. Além disso, 34% do total de detentos estão presos por crimes de homicídio, 23% por furto e roubo e 16% por tráfico de drogas.

Edy Wilson Silva