Camilo critica demissões na Sedel.

Não há mais merenda escolar nos centros esportivos de Macapá; 27 merendeiras estão desempregadas

Macapá, 07/11/07 - No dia 24 de setembro, o deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB), enviou dois requerimentos (0662 e 0663/2007-AL) à Secretaria de Desporto e Lazer (SEDEL), solicitando informações a respeito da regularidade ou não do fornecimento da merenda escolar nos Centros Esportivos como a Piscina Rosa Ataíde, do Ginásio Avertino Ramos, assim como os motivos da demissão de 27 merendeiras que trabalhavam desde o Governo Barcellos nos referidos centros. Os requerimentos foram elaborados em virtude da visita das profissionais que relataram ao parlamentar socialista a situação que havia ocorrido.

Um mês e sete dias depois, o secretário da SEDEL Hildo Fonseca enviou resposta aos requerimentos, sustentando que, tanto houve paralisação na distribuição de merenda escolar nos Centros Esportivos, quanto houve demissão das merendeiras, por falta de “condições financeiras desta SEDEL”. A justificativa para as demissões causou irritação no deputado Camilo Capiberibe que, nesta terça-feira, 06 de novembro, na Tribuna do Plenário da Assembléia Legislativa, criticou as prioridades do governo do Estado.

Renovação Esporte Clube - Camilo Capiberibe comparou a suposta falta de recursos financeiros para a distribuição de merenda escolar e para o pagamento das merendeiras com o estranho repasse de verba estadual (R$ 540 mil) para o time de futebol Renovação Esporte Clube, desconhecido da torcida amapaense. “O senhor Hildo Fonseca afirma em sua resposta que não há dinheiro para suprir as necessidades dos centros esportivos, porém, a SEDEL tem dinheiro suficiente para ajudar o time de futebol Renovação”. Salientando que não é contra a ajuda governamental a clubes que promovam o esporte no Amapá, Capiberibe disse que “o problema é que para manter o emprego das merendeiras, assim como para alimentar as crianças amapaenses que procuram se destacar no esporte, não há dinheiro”.

Além disso, Capiberibe se disse incrédulo que de um orçamento que já ultrapassa R$ 2 bilhões, o governador Waldez Góes não seja capaz de alocar o suficiente para manter empregos e alimentar crianças. “Que sensibilidade o Governador Waldez possui quando demite senhoras de idade que desde o Governo Aníbal Barcellos produziam a merenda escolar destinada às crianças e adolescentes que praticam esportes? Nenhum governador ousou fazer o que este está fazendo”.

Exercício de consciência - o socialista finalizou pedindo ao governador Waldez Góes que faça um exercício de consciência, se colocando no lugar das senhoras que foram demitidas. “Como elas farão para sobreviver sem seus salários no final do mês? Se já não bastasse toda essa humilhação, as indenizações trabalhistas ainda não foram pagas”. Segundo o Secretário Hildo Fonseca, ele estaria “articulando” o pagamento. “É preciso ter de respeito por pessoas de idade que dedicaram 20 anos de suas vidas servindo ao povo do Amapá”.


Raul Mareco