Realização do II Festival de Teatro aguarda 15 mil pessoas

A abertura oficial acontece no próximo domingo, 11 de novembro, no Teatro das Bacabeiras, às 20h, com programação especial e apresentação gratuita do espetáculo Bar Caboclo

Denyse Quintas

No período de 11 a 19 de novembro acontece o II Festival de Teatro do Amapá. Serão apresentados 22 espetáculos, sendo 20 locais, reunindo artistas dos municípios de Macapá, Santana, Laranjal do Jari e Serra do Navio, um da Unicamp (SP) e outro do estado de Pernambuco. Os espetáculos serão exibidos no Teatro das Bacabeiras, Museu Sacaca, Teatro Experimental Maracá (antigo Centro de Convenções Azevedo Picanço), Fortaleza de São José de Macapá e na Universidade Federal do Amapá (Unifap).

O Festival de Teatro será avaliativo, não existirá premiação. A realização desta edição visa alcançar a qualidade total dos espetáculos, fazendo com que esse diagnóstico formatado nos festivais possa identificar as necessidades, e os pontos positivos e negativos dos artistas e dos espetáculos amapaenses que estão sendo montados.

Segundo o presidente da Federação Amapaense de Teatro Amador (Fata), João Porfírio Freitas Cardoso, 41, por meio dos diagnósticos se trabalha a formação do artista, que, anteriormente, era praticada em oficinas. Atualmente são realizados cursos de duzentas horas significando acompanhamento no desenvolvimento artístico e aprendizado.

A entrada será gratuita por ser a política de formação de platéia para o festival. Acontecerão as escolhas dos grupos que estarão participando do 1º Festival Nacional de Teatro e Dança do Meio do Mundo que acontece no Amapá em 2008. “Serão selecionados dez espetáculos para o maior evento de dança e de teatro dos últimos tempos realizado no Amapá, além de receber 15 companhias teatrais de outros estados”, disse o presidente da Fata, João Porfírio Freitas.

A seleção dos espetáculos será feita por diretores de artes cênicas de São Paulo e pelo escritor de Mandacaru, Calixto de Inhamus, que aplicará cursos de dramaturgia a 27 autores do Amapá, por meio do Sebrae.

O Sebrae atualmente é um dos principais fomentadores das artes cênicas no Estado. Diversas ações vêm sendo realizadas em parceria com as federações de teatro com objetivo de aumentar a performances das companhias de teatrais e dança locais. Recentemente realizou o curso de dramaturgia e a consultoria de Analise de Textos para mais de vinte dramaturgos locais.

“Identificamos pontos positivos e negativos na produção teatral amapaense. Positivo, pois temos uma grande produção de textos sendo montados e com qualidade excepcional. Em contrapartida ainda temos algumas companhias com deficiências gritantes nos espetáculos, como falta de iluminação, figurinos reaproveitados ou mal desenvolvidos, problemas de interpretação e com cenários muito pobres, mas que estão pesquisando e buscando melhorar dentro do que é ofertado no mercado. Companhias como Língua de Trapo, os Cabuços, Marco Zero, Supernova, Mínimo 18 de Teatro e Os Cínicos, são companhias com trabalhos ousados que dentro de sua linha de atuação desenvolveram tecnologias e formas de expressão que agradam seu público. O festival proporciona uma grande oportunidade às companhias de compartilharem tecnologia e de se conhecerem, re-oxigena a cena teatral,” disse Maikon Richardson, gestor do Núcleo de Economia da Cultura do Sebrae.

O 2º Festival de Teatro está sendo organizado pela Federação Amapaense de Teatro Amador (Fata) e pela Federação Amapaense de Teatro (Fat), existentes no Estado há 14 e 22 anos, respectivamente.

O evento conta com o patrocínio do governo do Estado e da Prefeitura Municipal de Macapá. São parceiros o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no Amapá, Serviço Social do Comércio (Sesc) e Federação do Comércio (Fecomércio). A formação da platéia é composta por estudantes universitários da Unifap e 20 escolas públicas municipais e estaduais. Os alunos serão conduzidos aos espetáculos por ônibus que estarão à disposição nos estabelecimentos de ensino. Os espetáculos iniciam às 15h e às 19h30.