Negócio fechado: Lojistas e moveleiros
do Amapá fecham os primeiros contratos.
Tanha Silva

A relação comercial que se iniciou no Amapá entre lojistas do comércio
varejista de móveis e moveleiros está avançando cada vez mais. No mês de
junho foi realizada a Rodada de Negócios e Exposição de Móveis e Artesanato promovidas pelo Sebrae.

O contato direto entre quem fabrica e os revendedores aconteceu nos estandes de exposição das empresas montados no Centro de Exposições do Sebrae Amapá.

Doze empresas moveleiras expuseram camas, sofás, armários de cozinha,
esquadrias, conjuntos de mesas de jantar, racks, mesas de centro, beliches e guarda-roupas. Quatro lojas compradoras presentes na Rodada fecharam negócios - Center Kennedy, Domestilar, Esplanada e Tropical Materiais de Construção.

O volume de negócios fechados foi de R$ 22.000,00 (vinte e dois mil reais).

A exposição foi exclusiva para os lojistas. A intenção do Sebrae e dos fabricantes de móveis é tornar conhecida a produção local entre os empresários. Novas tecnologias que já foram agregadas a esses produtos, além de design mais moderno adotado pelos moveleiros.

A Rodada de Negócios possibilitou também um contato mais próximo entre os empreendedores dos dois setores, além de oportunizar oferta de propostas e formalização de negócios.

A negociação direta é considerada uma grande vantagem para ambas as partes.

O Sebrae é um dos grandes incentivadores dessa relação. "Essa ação de comercialização direta é positiva para o mercado local e podemos realiza-la
a custo praticamente zero", disse José Carlos Molinos, técnico da Área de Comércio do Sebrae.

A rodada de negócios e a exposição foram uma continuação do I Encontro da Indústria e Comércio de Móveis do Estado do Amapá (EICOMAP), promovido pelo Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) em parceria com o governo estadual, por meio da Secretaria Estadual de Indústria, Comércio e Mineração, no mês de abril deste ano.

O I EICOMAP resultou em uma promessa de cooperação para abastecer o mercado de móveis, usando a produção local.

A assinatura de um Termo de Compromisso foi o selo da cooperação. As empresas moveleiras comprometeram-se a produzir móveis destinados ao comércio amapaense, respeitando design, acabamento, modelos, qualidade, preços e prazos de entrega previamente estabelecidos.

Já os lojistas do comércio varejista de móveis assumiram o compromisso de disponibilizar espaço físico em seus estabelecimentos para exposição e
comercialização dos móveis produzidos pela indústria do Amapá.

Os negócios fechados no mês de junho são o início da concretização desse projeto.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, empresário Jaime Nunes, por ocasião do EICOMAP disse que "é preciso que os lojistas revejam antigas avaliações sobre a produção de móveis do Amapá. Mas, é preciso, também, que os moveleiros reconheçam a necessidade de estarem abertos a idéias e críticas que contribuam para melhorar a qualidade do produto".

 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.