Governo vai construir penitenciária de segurança máxima

Obras iniciarão em fevereiro de 2008 e vai ajudar na melhor distribuição dos detentos

A construção de uma penitenciária de segurança máxima, com capacidade para 200 detentos será uma das principais obras contempladas pelo convênio entre o Ministério da Justiça e o Governo do Amapá. Nesta quinta-feira, 13, o Governo do Estado e a Caixa Econômica Federal assinaram documento que garante o repasse das verbas destinadas a execução das obras. O repasse soma cerca de R$ 7 milhões, divido em dois convênios. O Edital de licitação das obras será lançado ainda em janeiro e a execução dos serviços começará em fevereiro.

O primeiro projeto de mais de R$ 4 milhões prevê a construção de uma Penitenciária de Segurança Máxima para 200 à 250 detentos. O novo presídio vai reunir presos considerados perigosos, que segundo entendimento da direção do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) devem ser separados dos presos comuns. A nova Penitenciária do Amapá, segundo o coronel da PM Walcyr Alberto Costa Santos, diretor-presidente do Iapen, será construída em área entre o chamado Cadeião e o Anexo, atrás do complexo do Iapen.

O segundo projeto de R$ 2, 5 milhões é para a obra de reforma do prédio do Iapen, com prioridade inicial para os complexos do Pavilhão Fechado e Semi-Aberto. “A reforma vai beneficiar também outros setores do Iapen”, anunciou Walcyr Santos.

HUMANIZAÇÃO - Na opinião do governador do Amapá Waldez Góes, os investimentos anunciados para o setor penitenciário do Amapá vão permitir um atendimento mais humanizado e eficiente aos detentos, além da melhoria da política de ressossialização dos presos. Waldez também destacou que desde que assumiu o Governo do Estado em 2003, realizou vários concursos públicos entre eles na área de defesa social, permitindo maior reforço na guarda dos detentos do Iapen. A contrapartida do Governo do Estado nos dois projetos somam cerca de R$ 750 mil.

Walcyr explicou que os recursos são referentes ao orçamento de 2007 e contemplam projetos propostos pela direção do Iapen este ano.

ESTATÍSTICA - Walcyr Santos disse que atualmente o Iapen dispõe de aproximadamente 1,8 mil detentos. Desse total apenas 4% são mulheres. A estatística penitenciária mostra ainda que 68% dos presos tem idade entre 18 e 29 anos e 84% tem escolaridade máxima até o ensino fundamental completo. Walcyr também adiantou que 60% dos presos são amapaenses, 30% paraenses e 6,3% procedentes do Estado do Maranhão. Segundo ele, 74% dos crimes foram cometidos em Macapá, 13% em Santana, 4% em Laranjal de Jari e 3,5% em Oiapoque. A pesquisa mostra que 39% dos presos são evangélicos e 44% católicos. Além disso, 34% do total de detentos estão presos por crimes de homicídio, 23% por furto e roubo e 16% por tráfico de drogas.

Edy wilson Silva