Papaléo analisa sua atuação parlamentar no Senado Federal

O Senador Papaléo Paes (PSDB-AP) afirmou nesta semana que dedica seu mandato para, entre outros temas, ajudar a desenvolver a saúde, a educação e a economia do Amapá, três prioridades para o estado.
- Para um estado jovem, como o Amapá, situado no extremo norte do Brasil e ainda carente de quase tudo, é de suma importância reforçar, em especial por meio da educação de cunho técnico e tecnológico, as oportunidades dadas a todos de lutar por um futuro melhor - afirmou Papaléo.

O senador citou projetos de sua autoria, como o que autoriza a criação da Escola Técnica Federal do Amapá (PLS 484/03), instituição de ensino técnico profissionalizante com enfoque nas áreas de meio ambiente e desenvolvimento sustentável; e o que autoriza a criação da Escola Técnica Federal de Construção Naval no município de Santana (PLS 341/07), com o objetivo de valorizar a tradição amapaense de construção artesanal de barcos de madeira.

Papaléo lembrou ainda seu projeto (PLS 23/06) que autoriza a criação de campi avançados da Universidade Federal do Amapá na cidade de Santana, e nos municípios de Oiapoque, Laranjal do Jarí, e Amapá. Citou também o PLS 111/05, que autoriza o Poder Executivo a criar uma região integrada de desenvolvimento nas cidades de Macapá e Santana, com o objetivo de fomentar atividades nas áreas de recursos hídricos, meio ambiente e turismo, entre outras.

- Esse conjunto de proposições, com foco em educação e na abertura de oportunidades de consolidação de novos empreendimentos, casa-se de forma absolutamente adequada com as necessidades de um estado como o Amapá - afirmou Papaléo.

Já na área da saúde Papaléo, que é médico, relatou parte do trabalho que tem desenvolvido na presidência da Subcomissão da Saúde do Senado Federal. Também listou projetos de lei que apresentou, como o que cria o Estatuto do Enfermo, estabelecendo os direitos dos pacientes - hospitalizados ou não.

Papaléo disse que os grupos privados, sem nenhum compromisso com o enfermo, estão dominando o setor de saúde no Brasil, que tratam como um negócio qualquer, cujo principal objetivo é a obtenção de lucros. Ele citou o caso dos Estados Unidos, onde esse mesmo fenômeno está gerando uma avalanche de ações judiciais contra médicos, hospitais e seguradoras.

O senador também citou o projeto que garante o tratamento de hipertensos que tenham dificuldades financeiras com o fornecimento de medicação pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Outro projeto lembrado é o que cria instrumentos para prevenção e controle de infecção em hospitais. Papaléo assinalou que a infecção hospitalar no Brasil é responsável por um acréscimo de cinco a dez dias nas internações, além de ser uma importante causa de morte na hospitalização.

- Com estas proposições legislativas apresentadas tenho a certeza de que estou honrando o mandato recebido pela população e vou continuar trabalhando para o crescimento e o desenvolvimento do Amapá - finalizou Papaléo Paes.

----------------------------------
Com informações do Gabinete do Senador e da Agência Senado