DECRETO AO TEMPO BOM

Édi Prado -27/06/07

Decreto sem número/2007.

Art. 1° - Fica decretado que a partir desta data está proibido de “baixar o tempo” quando os gestores públicos pensarem e decidirem reparar as estradas municipais, estaduais e federais, bem como os ramais e vicinais.

Art. 2º- O tempo deve subir sempre que um grupo de políticos e empresários, depois da farra, decidir capinar, limpar, raspar, drenar, dragar, compactar e asfaltar todas as vias de acessos municipais, estaduais e federais.

Art. 3- A natureza não pode continuar repetindo o ciclo de chuvas criado por Deus. Há milhões de anos repetem este ciclo vicioso de chover, fazer sol, levantar e subir. Esse processo provoca uma mudança de comportamento na vontade de fazer dos responsáveis pelas construções que são impedidas pelo mal tempo. A partir de hoje, o sol deve permanecer a pino, não tão forte para não desestimular os operários, que buscam abrigos quando chove e se escondem quando faz sol.

Art. 4º - Assim como foi abolido o Limbo, fica alterado o ciclo de natureza que deve se submeter à vontade dos administradores em fazer qualquer coisa.

Art.5 - É proibido gear, chover, realizar espetáculos de trovoadas, tempestades, terremotos e maremotos e até de nevar em todo o Estado do Amapá, sempre que os governos municipais, estaduais e federais resolverem trabalhar.

Este decreto entra em vigor a partir desta data. Irrevogável as disposições em contrários.

MACAPÁ, 27 DE JUNHO DE 2007

“EGUS”