Deputada pede proteção para coordenador da CPT

Brasília, 04/12/2007 - A deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) enviou ofício ao ministro da Justiça Tarso Genro, nesta terça, 04, pedindo proteção à vida do frei Henri de Rozier, coordenador da Comissão Pastoral da Terra no sul do Pará, constantemente ameaçado de morte. Recentemente, três pistoleiros foram contratados ao preço de R$ 50 mil para assassinar o religioso.

Na segunda-feira, 03, a socialista discursou na Câmara dos Deputados alertando para que o poder público se antecipe a um fim trágico do caso, evitando que tenha o mesmo fim da irmã religiosa Doroth Stang, assassinada no sul do Pará, mesmo tendo denunciado a situação de conflito aos órgãos públicos e de proteção dos direitos humanos.

“Todos estes lutadores do povo devem ter sua vida protegida, já que sua luta é por justiça social e para que milhares de brasileiros e brasileiras não morram de fome, na miséria, enquanto um pedaço de terra serve apenas para a especulação imobiliária, sem atender sua função social, prevista na Constituição”, defende a deputada.

“A selvageria para o acúmulo de riquezas e o desvirtuamento do papel do Estado são as principais causas dessas mortes no campo”, analisou a parlamentar socialista. Segundo ela, o trabalho do religioso, em defesa do desenvolvimento sustentável, da reforma agrária, dos povos da floresta e dos pequenos proprietários rurais desagrada os grileiros e donos de latifúndios improdutivos, bem como aqueles que pretendem a exploração predatória da floresta.

A luta social em defesa dos direitos humanos já rendeu ao frei Henri, de origem francesa, dois prêmios do Governo Federal, um no governo de Fernando Henrique Cardoso e outro no governo Lula.

O estado do Pará reúne os piores indicadores que medem a violência no campo. Em 2005, o Pará reunia mais de 1/3 dos ameaçados de morte em todo o país: 96 ameaçados no Pará dentre 266 em todo o país. Naquele ano, de 102 mortos no país, 21 foram assassinadas no Pará em conflitos pela posse da terra, água e garimpo, conforme dados da Comissão Pastoral da Terra.


Sizan Luis Esberci