Lançamento do Amazontech no Amapá
mostra as novidades para 2004

"Novos Rumos para a Ciência, Tecnologia e Negócios Sustentáveis" é o tema da quarta edição do evento que destaca negócios de conservação ambiental na região amazônica.

Foto: Denyse Alexópulos

O Lançamento estadual do Amazontech aconteceu em Macapá na última sexta(4), no Centro de Exposições do Sebrae em Macapá. Na oportunidade estava presente a diretora técnica do Sebrae de Mato Grosso, Leide Garcia Novaes Katawana que ressaltou a importância de um evento do porte do Amazontech. O lançamento estadual contou com a presença de 200 pessoas entre instituições parceiras e empresários.

Os empresários que participaram do Amazontech do ano passado Rizoleide de Oliveira Rodrigues da empresa Cunhaú Pesqueiro (frigorífico localizado no município de Calçoene no Amapá, e com previsão de exportar para a Comunidade Européia na segunda quinzena de agosto), e José Alfaia Batista Filho (inventor da Multi Roçadeira Alfa para corte de mato alto e baixo) estão com boas expectativas em relação á edição de 2004 do evento.

Para Rizoleide (Cunhaú Pesqueiro), "o Amazontech é uma boa oportunidade de gerar bons negócios, além de divulgar o nome de sua empresa". Este ano o objetivo da empresária é levar amostra das diversas espécies de peixes. A empresa Cunhaú Pesqueiro já recebeu investimento de cerca de 250 mil reais para a conclusão do layout da empresa e recebeu o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF). O empresário José Alfaia (Roçadeira Alfa), pretende estabelecer negócios e expor seu produto na edição 2004 do Amazontech.

A grande novidade deste ano é a composição do Amazontech em eixos temáticos. A água vai ter uma importância especial durante o evento. Será realizado um fórum especial com a participação dos paises amazônicos articulados pela Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA). Os sete eixos do evento são: Água, Biodiversidade Vegetal e Animal, Solo, Minérios, O mundo Abstrato dos Povos Autóctones e da Realidade Atual, Infra-estrutura, Serviços e Logística, Ciência, Tecnologia e Políticas Públicas de Desenvolvimento. Tudo isso vai resultar em uma grande programação por parte dos organizadores.

Multi Roçadeira Alfa

A Multi Roçadeira Alfa surgiu há três anos. A invenção foi fruto da necessidade aliada à criatividade. O micro empresário, José Alfaia Batista Filho, precisava de uma roçadeira para exercer suas atividades no campo, porém, não tinha condições para comprar as existentes no mercado. Daí surgiu uma idéia. "Nós possuíamos o mini bugui do meu filho que já estava sucateado, então, eu retirei o motor e o adaptei em um carrinho de mão e vi que dava resultado", lembra José Alfaia. Segundo o José, seu invento tornou-se uma excelente roçadeira e será apresentada durante o Amazontech deste ano em Cuiabá, no período de 16 a 21 de agosto.

Para José Alfaia, o Amazontech será uma ótima oportunidade para conquistar novos mercados. "O Evento vai reunir os 9 estados da Amazônia legal e representantes de vários países. Essa será uma boa oportunidades de negócios", disse Alfaia. A diferença da roçadeira Alfa para as outras do mercado é que, enquanto as outras roçadeiras você carrega nas costas, a roçadeira você não carrega o peso, apenas empurra. E, além de cortar e triturar o mato ela contribui no processo de enriquecimento do solo. "Ela tem suas peculiaridades. Enquanto as outras apenas cortam o mato, a Alfa o tritura. E o mato triturado é logo absorvido pelo solo como matéria orgânica", afirmou José Alfaia.

É chamada de Multi roçadeira porque é feita de um motor de dois tempos e pode trabalhar na (vertical ou horizontal). Em poucos minutos é possível tirar o motor da roçadeira e converter de vertical em horizontal. Segundo o inventor da Multi Roçadeira Alfa, dessa forma as pessoas poderão exercer outras atividades no sítio. Por exemplo, utilizar o motor em pequenas embarcações ou, em bombas de água e uma série de outras atividades. Diminuindo os custos. Já que o mesmo motor terá diversas utilidades.

Até hoje já foram fabricadas cerca de 70 Multi Roçadeiras. O preço é de 1.600,00 reais e, se comparado com outras, a economia chega a ser de mais de 30%. "Para você ter uma idéia eu fiz uma tabela em relação às outras roçadeiras no mercado e você não encontra por menos de R$ 2.000,00", afirmou Alfaia. A principal evolução das primeiras roçadeiras até as atuais foi o motor. O primeiro foi improvisado, e os atuais podem ser pedidos com as modificações que o micro empresário José Alfaia desejar. Hoje o motor chama-se Motor Vertical Alfaia. "Quando tive certeza que a idéia poderia dar certo entrei em contato com os fornecedores de motor, que fica em São José dos Pinhais, os fornecedores acharam a idéia tão boa que fazem a mudança que eu quero nos motores", disse Alfaia.

Com cerca de dois litros de gasolina é possível trabalhar por quatro horas seguidas. A produção da Multi Roçadeira já está sendo em série. Há a intenção de exportação por parte de José Alfaia. Segundo ele, o Amapá funciona como uma espécie de laboratório onde é possível observar a aceitação do público. "Tenho expectativa de bons negócios durante o Amazontech este ano em Mato Grosso", comentou Alfaia. O nosso produto tem garantia e assistência técnica. Até agora a receptividade esta sendo muito boa, pois a Alfa tem preço e qualidade", afirmou.

Cunhaú Pesqueiro

A Cunhaú Pesqueiro foi fundada em novembro do ano de 1999 no município de Calçoene no Estado do Amapá. A principal proposta da empresa era fornecer gelo a embarcações pesqueiras. Porém, segundo a Diretora Administrativa Rizoleide de Oliveira Rodrigues, em fevereiro de 2000 iniciou-se uma pesquisa para avaliar o potencial pesqueiro da região e, certos deste, iniciaram o projeto de viabilidade econômica e financeira. Então em 06 de setembro de 2002 foi inaugurada a primeira fase da indústria de beneficiamento de pescado.

Hoje, após 18 meses de sua inauguração, a Cunhaú Pesqueiro foi avaliada em 1. 770,000,00 ( um milhão setecentos e setenta mil reais) e possui mão-de-obra qualificada. Hoje a Cunhaú Pesqueiro está buscando o mercado europeu o qual, segundo a sua Diretora Administrativa, irá quadruplicar o seu faturamento. Permitindo dessa forma crescer buscando concretizar as metas já pré-estabelecidas, das quais estão a ampliação de sua linha de produção onde a empresa vai trabalhar com o camarão, o pitu e aumentar a produção de filé. Estes embalados de forma a atrair o consumidor final.

A empresa dispõe de fabrica de gelo, tipo escama, com capacidade produtiva de 23 toneladas por dia, o qual é vendido para embarcações pesqueiras e caminhões que transportam o pescado. No entanto, seu potencial encontra-se no beneficiamento do pescado onde atualmente a empresa opera com aproximadamente 15% de sua capacidade total. Este percentual divide-se entre peixe inteiro eviscerado congelado e aproximadamente 10% de filé de posta. A atual capacidade produtiva é de 10 toneladas por dia de peixe inteiro e seis toneladas de produtos beneficiados.

A indústria pesqueira vive um momento único. Segundo dados da Secretaria Especial de Agricultura e Pesca da Presidência da República (Seap), o setor de pesca passa a ser incentivado por políticas de desenvolvimento sustentável, que segundo projeções modestas, podem elevar a produção brasileira de pescado nos últimos quatro anos de 985 mil toneladas por ano para 1, 45 milhão de toneladas por ano. E com isso, criar mais de 150 mil empregos diretos e 400 mil indiretos podendo dobrar a renda gerada.

O caso da vaca louca e a gripe asiática do frango fizeram com que a procura por carne de peixe e seus derivados tivessem um aumento considerável. "A Cunhaú Pesqueiro está de acordo com a proposta do Amazontech de gerar produtos buscando a qualidade, preocupando-se em preservar o meio ambiente", afirmou Rizoleide Rodrigues.


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.