Detran aguarda posição do
Ministério Público para
normalizar atendimento

O atendimento ao público no Detran (Departamento Estadual de Trânsito) ainda não voltou a normalidade. O diretor do órgão, Carlos Marques, aguardava, ontem, uma decisão do MPEA (Ministério Público do Estado do Amapá) sobre o assunto. O departamento esteve sob intervenção do Ministério Público até o último dia 09 por força de uma liminar.

A intervenção foi motivada pela denúncia de um esquema fraudulento montado dentro do órgão para expedição de carteira de motorista. A fraude seria para beneficiar o vereador Antonio Nogueira (PT), eleito deputado federal no pleito de outubro passado.

Marques informou que já foram realizadas duas reuniões com o procurador-geral do Ministério Público, Jair Quintas e com os promotores André Luís Dias Araújo e João Paulo de Oliveira Furlan que atuaram como interventores no Detran para tratar sobre o assunto.

Na sexta-feira, a direção do órgão protocolou um pedido oficial no MPEA solicitando orientação quantos aos novos procedimentos. A resposta necessária, pois existe a possibilidade do Ministério Público continuar com a intervenção.
“Até a última reunião ocorrida na quinta-feira, o Ministério Público ainda não tinha uma posição definida quanto a necessidade de prorrogar ou não o mandado de suspensão dos serviços”, disse.
Basicamente o que o diretor do Detran precisa saber é o que fazer com as carteiras apreendidas pelo Ministério Público — cerca de 1.600 — e já devolvidas ao departamento. Há ainda a questão dos equipamentos que foram apreendidos pelo MPEA para averiguação.

“As carteiras já estão aqui. Mas não sabemos se podemos devolve-las a seus proprietários ou não. E só quem pode nos confirmar isso é o próprio Ministério Público”.

Caso não haja nova intervenção, o Detran já tem montado um esquema especial de atendimento ao público. Nos últimos dias, cresceu significativamente o número de pessoas procurando o órgão. São em média de 10 a 15 pessoas por dia querendo saber como regularizar sua situação, principalmente no que se refere a primeira habilitação.

Uma reunião com todos os setores de atendimento e com o departamento administrativo do Detran foi realizada para tratar do assunto. A intenção é para que o usuário leve o menor tempo possível para ser atendido. “Sabemos que há um número muito grande de pessoas no aguardo, então temos que agilizar esse atendimento”, explicou Marques.

Nos primeiros dias, a prioridade do atendimento será para quem precisa renovar a carteira. Pesou nessa decisão o fato de quem quer renovar o documento já estar habilitado e tem a necessidade imediata de se legalizar. Já quem vai trocar de categoria ou quem pleiteia a primeira habilitação será atendido posteriormente.

“Quem vai tirar a carteira pela primeira vez não sofrerá nenhum tipo de prejuízo se aguardar mais uma semana. Mas quem já tem a habilitação e está com ela está vencida poderá ter muitos transtornos. Inclusive estamos pedidos aos policiais que usem d4o bom senso quando abordarem algum desses condutores. Solicitamos que eles não adotem medidas punitivas nesse momento, até porque a culpa de não ter renovado o documento não é do condutor”, esclareceu.

Joel Elias

 

 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.