NOVO BISPO DE MACAPÁ CHEGA NESTE DOMINGO

Paróquias, pastorais, movimentos, comunidades e demais organizações eclesiais da cidade e do interior preparam uma festa especial, com bandeirinhas coloridas, faixas e cartazes, para receber Dom Pedro José Conti, novo bispo da Diocese de Macapá. Dom Pedro desembarca no aeroporto da capital neste domingo, 13/02, às 12:45h, uma semana antes da solenidade oficial de posse marcada para o dia 20 de fevereiro, às oito horas da manhã, na nova Catedral, com as presenças de Dom Lorenzo Baldisseri, Núncio Apostólico no Brasil e dezenas de bispos do Regional Norte II da CNBB (Pará e Amapá) e de outros estados.

Pedro José Conti nasceu em Brescia, região da Lombardia, norte da Itália, em 10 de outubro de 1949. Formou-se engenheiro eletrônico em Milão, na Itália. Aos 21 anos entrou para o seminário diocesano de sua terra natal, sendo ordenado Padre em 12 de junho de 1976, junto com o amigo Carlos Verzeletti, atual Administrador Apostólico da Diocese de Macapá e bispo nomeado para a nova Diocese de Castanhal/Pa.

Depois de trabalhar na paróquia Divino Espírito, em Brescia, chegou ao Brasil em 1983, como missionário, indo para a Diocese de Bragança/Pa. Em 84 assumiu a paróquia de Paragominas, ficando até l995 quando foi nomeado Bispo da Diocese da Santíssima Conceição do Araguaia, sudeste paraense, em 27 de dezembro daquele ano e empossado no dia 18 de fevereiro de 96. Em 2003, Dom Pedro naturalizou-se brasileiro e depois de oito anos dedicados ao povo da região do Araguaia foi nomeado pelo Papa João Paulo II, em dezembro de 2004, o quinto Bispo de Macapá, sucedendo o amigo Dom João Risatti, falecido em setembro de 2003, na Itália.
“Senhor, Tu sabes que eu te amo”, é o lema do episcopado de Dom Pedro Conti, dito pelo Apóstolo Pedro, segundo o Evangelho de São João, capítulo 21.

Após a recepção no aeroporto Dom Pedro será conduzido, em carreata, até a residência episcopal, na antiga Catedral de São José. De acordo com a programação da chegada, o novo bispo participa, na segunda-feira, 14/02, de uma entrevista coletiva e café da manhã com jornalistas do Estado, na Igreja dos Capuchinhos, na av. Fab, área do hospital S. Camilo. Antes da posse, Dom Pedro passará uma semana conhecendo a nova Igreja que assumirá no dia 20 de fevereiro.


Programação da Chegada e Posse de Dom Pedro

CHEGADA

-Dia 13/02/05 - domingo
-Local: Aeroporto de Macapá
-Hora: 12:45h
-Cerimonial de acolhida - Pe. José Cláudio (Vigário Geral da Diocese de Macapá)
-Carreata: saindo do Aeroporto, av. Nações Unidas, rua Eliezer Levy,
av. Pres. Vargas, rua Cândido Mendes, passagem Mário Cruz e chegada
na antiga Catedral de São José.
-Benção dos carros e condutores por Dom Pedro

ENTREVISTA COLETIVA

-Dia 14/02/05 - segunda-feira
-Café da manhã na Igreja dos Capuchinhos (av. Fab - Santa Rita)
-Hora: 07:30h

CELEBRAÇÃO DE POSSE
-Dia 20/02/05 - domingo
-Concentração: 07 horas da manhã, em frente da antiga Catedral
-07:30h: Caminhada até à nova Catedral, na rua General Rondon,
com a participação de Bispos, Sacerdotes, Autoridades e o Povo.
-08:00h: Início da Solene celebração da Santa Missa de Posse

PROGRAMAÇÃO CULTURAL
-Dia 20/02/05
-Hora: 19:00h
-Concerto no Teatro das Bacabeiras
-Aberto ao público
-Participação: Orquestra Primavera e Coral da Escola de Música Walquíria Lima, Osmar Junior, Crianças da Casa da Hospitalidade, Grupo de Teatro dos Capuchinhos, Companhia de Dança Afro Baraka, ente outras atrações regionais.
(Pastoral da Comunicação - Pascom)
Contatos:
Francisco Bessa - 91121796
Oscar Filho - 91128948
Célia Souza - 81165385

 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.