Show “Uma Noite em Paris”,
e Franky de L’Amour
quinta-feira no Carinhoso

“Uma Noite em Paris”é o nome do show do cantor “Franky de L’Amour”, que acontecerá na quinta-feira, 17 de julho, no Bar- Teatro Carinhoso Drinks, em Macapá, a partir das 22h. O espetáculo terá como atração principal a Orquestra “Champs-Elysée” e contará ainda com a participação especial dos convidados Osmar Júnior, Nonato Leal e do maestro Manoel Cordeiro. A realização do show recebe apoio direto do Governo do Estado.

O cantor garantiu que o show será um marco na noite cultural amapaense, “O espetáculo Uma Noite em Paris é inspirado no melhor e maior repertório da música francesa. Certamente o público que assisti-lo terá uma razão há mais para difundir sempre que possível o romantismo francês”.

Conforme o repertório do cantor, ele estará cantando e interpretando músicas de cantores renomados franceses e brasileiros, incluindo cantores amapaenses. Os cantores são: Charles Aznavour, Christophe, Gilbert Bécaud, Mireille Mathieu, Barriere, Joe Dassin, Edith Piaf, Enrico Macias, Francis Cabrel, Vinícius de Morais, João Gilberto, Alceu Valença, Martinho da Vila e Zé Miguel.

FRANÇA - O show, segundo Franky de L’Amour tem o objetivo de mostrar a França em sua cultura artístico-cultural à comunidade amapaense, principalmente aqueles que se interessam em estudar a língua daquele país, cuja capital é Paris (A cidade-luz). O cantor que residiu vários anos em Paris fez questão de destacar que Paris é uma cidade bela que atrai milhares de pessoas que a se depararem com a cidade francesa se encantam com a cultura, tradição, além do bom queijos e vinhos franceses.

Douglas Costa Ferreira, o verdadeiro nome do cantor Franky de L’Amour”, tem um currículo invejável no campo da música francesa, principalmente nos ritmos caribenhos como: “Zouk- Love, Regae, Salsa e Cacicó”.

“Franky de L’Amour”, que fala fluentemente francês, inglês e espanhol, gravou o seu primeiro CD solo em 1998, onde a maioria das músicas eram de sua própria autoria. A música carro-chefe em ritmo zouk chama-se “Lague-Moin” (Me deixe), sucesso que ficou nas paradas de sucesso musical em Cayenne, Martinique, Guadeloupe, Pará e Amapá.

REPERTÓRIO- Para o show “Uma Noite em París”, o cantor “Franky de L’Amour”, na quinta-feira, 17, no “Carinhoso Drink,s”, preparou um repertório exclusivo e inédito com músicas como: “Ne Me Quittes Pas” (Jacques Brel); Comme d’Habitude (Claude François); Samedi Soir Sur La Terre (Francis Cabrel); Aline (Christophe); Capri C’est Fini (Charles Aznavour); Assis Sur Lê Rebord Du Monde (Francis Cabrel); Et Maintenant (Gilbert Bécaud); Et Si Tu n, Existais pas (Joe Dassin); Les Marionettes (Christophe); La Dame de Aute-Savoie (Francis Cabrel); La Corrida (Francis Cabrel); Samba Da Benção (Vinícius de Moraes); Mulheres (Martinho da Vila); Isto Aqui, O Que é? (Ary Barroso); Vida Boa (Zé Miguel); Morango (Franky de L’Amour); Lague - Moin (Franky de L’Amour); Yellow Man (Franky de L’Amour); Root,s, hot,s, Reggae (Bob Marley); La Bamba (Richie Vallens) e Cuisse Lá (Les Aiglons).

MAIS INFORMAÇÕES PODEM SER OBTIDAS PELO TELEFONE 9115 - 4981 (FRANKY DE L’AMOUR)

EDY WILSON SILVA


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.