3º Fórum Social Mundial - Mulheres se
encontram e realizam Planeta Fêmea.

15 de Janeiro de 2003 - O Planeta Fêmea 2003 será o ponto de encontro dos movimentos de mulheres de todos os matizes que vêm das mais diversas partes do mundo para participar do 3º Fórum Social Mundial, que será realizado entre os dias 23 e 28 deste mês, em Porto Alegre. Ecofeministas, trabalhadoras urbanas e trabalhadoras rurais, feministas militantes na política, na cultura e nas artes, na pesquisa e na comunicação, místicas e bruxas estarão convivendo no mesmo espaço, cerca de 1200 metros quadrados de tendas instaladas no Parque Marinha do Brasil, nos fundos da Secretaria Municipal de Esportes. Está previsto para a uma das noites à beira do Guaíba e realização de um sabat, cerimônia mística feminina coordenada por bruxas, em torno de uma fogueira, com o eixo da paz mundial.

A programação vem sendo preparada desde junho por organizações autônomas de mulheres do Rio Grande do Sul e conta com variadas opções: atividades esportivas e de lazer, ao lado de oficinas místicas pela manhã, reuniões, encontros, plenárias no horário do almoço e oficinas alternativas ao FSM
durante toda a tarde em torno de treze eixos. Nos finais de tarde estão previstos shows diários, bem como oficinas dança e de samba no pé. Já confirmaram a participação as maiores redes internacionais que trabalham os temas da saúde, direitos sexuais e direitos reprodutivos, ecologia, educação, pesquisas e estudos, violência doméstica, bem como de lideranças nacionais.

A Secretária Nacional dos Direitos da Mulher, Emília Fernandes vai
aproveitar o espaço do Planeta Fêmea para expor as propostas de sua pasta para o movimento de mulheres brasileiro no dia 25. Estão confirmadas ainda a pesquisadora Schuma Shumaher, a jurista Silvia Pimentel, a cientista política Fany Tabak, além de Guacira Oliveira, do Cfemea e Marlene Libardoni e Vera Soares da Agende. E ainda a argentina Suzana Chiarotti do Comitê Latino Americano e do Caribe para os Direitos da Mulher, a uruguaia
Lílian Celiberti, do Cotidiano Mujer, a peruana Virgínia Vargas, da
Articulación Mujeres Marco Sur, deputadas de toda a América Latina, África, de países europeus e dos Estados Unidos. A representante da Unifem no Brasil, Branca Moreira Alves confirmou sua presença, ao lado da Rede Mundial de Ecofeministas, da WEDO - Rede Mundial de Mulheres pelo Desenvolvimento Sustentável, coordenada pela brasileira Thais Corral. A
WEDO, ao lado da Redeh, foi a criadora do Planeta Fêmea na Eco 92, no Rio de Janeiro, de onde se originou a Agenda 21 das Mulheres. Essa agenda continua inspirando o Planeta Fêmea, que foi reorganizado no FSM de 2002 pelas gaúchas e retorna em 2003.

Também as campanhas internacionais contra os fundamentalismos e pela legalização do aborto terão como ponto de referência o Planeta Fêmea. Em uma das tendas estará instalado uma usina de processamento de lixo e de aproveitamento de resíduos sólidos do Centro de Educação Ambiental. Ao lado das tendas, estará funcionando uma estação de rádio móvel pertencente à Rede de Mulheres do Rádio, que em parceria com outras ongs, como o Coletivo Feminino Plural, estará veiculando campanhas, como o fim da prostituição infantil e o tráfico de mulheres.


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.