Deputado estreante preside sessão da Assembléia Legislativa

O deputado do PSB, Camilo Capiberibe, estreante na Assembléia Legislativa, presidiu os trabalhos desenvolvidos no parlamento estadual na última quinta-feira 15 de fevereiro. A sessão não deliberativa foi dedicada a debates, particularmente sobre a questão da CEA e da crise na saúde pública.

Dalto: Só trocar não resolve.

A sessão parlamentar não-deliberativa ocorrida nesta quinta-feira (15) mais uma vez debateu a crise na saúde pública do Amapá. O deputado médico Dalto Martins (PMDB), questionou o descontrole no número de plantões que alguns profissionais da saúde têm recebido mensalmente, 60 no total, sustentando que “sou contra a farra dos plantões, e gostaria que a imprensa estampasse isso nos jornais, pois isto é culpa da Secretaria de Saúde. Não adianta mudar o secretário de saúde, apenas isso não resolverá os problemas”.

O político também criticou a falta de infra-estrutura, e lembrou os direcionamentos tomados no Governo do PSB, demonstrando discernimento, independente de posicionamentos políticos. “As pessoas vêm de bairros distantes, e se deparam com colchões espalhados nos corredores dos hospitais. E quem leva a culpa é sempre o médico. No Governo Capi, havia uma grande quantidade de profissionais que favorecia a rotatividade do atendimento à população. Isso é excelente”.

Já o líder do PSB na Casa, deputado Ruy Smith, defendeu a elaboração de uma auditoria para investigar o que de errado vem ocorrendo na pasta da saúde.
“É extremamente importante que se instaure uma auditoria interna para que o governador possa ter conhecimento sobre os problemas visíveis da saúde. Ele deve estar desconfortável, pois a saúde nos últimos 4 anos piorou”, avaliou.

Roberto Góes (PDT), líder do Governo na AL, também se posicionou dizendo que na área da saúde há interesses particulares, falando inclusive em sabotagem nos hospitais públicos, e criticou a atuação da Prefeitura. “Esta questão precisa ser levada a sério. Há um sistema de interesses dentro da saúde pública. Quando afirmei que estava havendo sabotagem nos hospitais, foi um ‘Deus nos acuda’. Houve a municipalização do setor, mas quando se chega aos postos de atendimento, não há nem medicamentos. Onde está o prefeito João Henrique pra responder por que às 10 da noite os postos estão fechados?”, concluiu.

Camilo denuncia abandono do bondinho do Trapiche Eliezer Levy

Em referência a uma nota publicada pelo jornalista Rodolfo Juarez, na edição da última quarta-feira (14) do diário Jornal do Dia, o parlamentar do PSB, Camilo Capiberibe, criticou o abandono do Governo com relação ao bondinho do Trapiche Eliezer Levy, ambos estruturados no Governo de João Alberto Capiberibe.

O jornalista Juarez citou como problemas principais a falta de peças de reposição para o motor elétrico, e a deterioração do sistema de segurança dos trilhos. O deputado afirmou que, além do conforto e beleza que o bondinho não está mais oferecendo ao cidadão amapaense, o turismo também é prejudicado. “É preciso respeitar o turismo neste Estado. Não somente turistas de outros estados brasileiros vêm ao Amapá, mas como também de outros países. É necessário zelar por este patrimônio, e faço um apelo às autoridades para que reativem o bondinho”.

O deputado do PMN, Manoel Brasil, concordou com a preocupação de Camilo e avaliou a relevância do bondinho para a sociedade amapaense. “Não podemos abandonar o bondinho, mesmo porque é uma questão não só de entretenimento, mas também de conforto principalmente para os idosos e pessoas com problemas de saúde”.

Brasil, que faz parte da base governista, também elogiou o desempenho de Camilo Capiberibe na Assembléia Legislativa, em duas semanas de atuação. “Excelência, lhe parabenizo pelo seu empenho e comportamento diante dos nobres deputados desta Casa. Muito me felicita a formação que o eminente deputado possui, a qual só irá fortalecer os debates parlamentares”, concluiu.


Adelmo Caxias
Causas Cíveis, trabalhistas e Direito administrativo.
223-4299


Carlos Lobato

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.

Direito Penal e Tribunal do Júri
9972 4400

Vera Pinheiro
Causas cíveis
e
Direito de família
223 7100

Vera Pinheiro- Jamil Valente
Maria Pilar
Advocacia geral
Rua Manoel Eudóxio 928- Santa Rita
Telefone 223 7100

Dilson Ferreira
(CRM 235-AP)
Ginecologia e Obstetrícia
Av. Mendonça Furtado 1970- Santa Rita
Fone 222 3993

Bombons de chocolate
com recheio de frutas
.
Pedidos: 9968-3031
8112-8862

Rádio Som Eletrônica
Consetos Tv, video e rádio.
Leopoldo Machado 677
Jesus de Nazaré
3224-1473