Reunião do CAS analisa investimentos da
ordem de U$ 255 milhões na Amazônia

Cinqüenta e sete projetos industriais e outros 22 agropecuários estarão sendo analisados na sexta-feira, 16, durante a 209ª reunião do Conselho de Administração da Suframa. Caso a totalidade de projetos seja aprovada, o investimento será de US$ 255 milhões, que deverão gerar 2,7 mil novos postos de trabalho no Pólo Industrial e Distrito Agropecuário de Manaus.

O ministro Luiz Fernando Furlan, o senador Sarney e a presidente da Suframa, Flavia Skrobot, participam da reunião, que acontece a partir das 10 horas, no Teatro Bacabeiras. Também participa da reunião o governador Waldez Góes e os governadores Eduardo Braga (Amazonas), Jorge Viana (Acre), Ivo Cassol (Rondônia) e Wanderlei Neto (Roraima) além dos prefeitos das capitais desses estados.

O Governo Federal confirmou para a reunião, o envio de representantes dos ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão, das Comunicações, Minas e Energia, Integração Regional, Transportes, Defesa, Desenvolvimento Agrário, e o presidente do Banco da Amazônia (Basa), Mâncio Lima Cordeiro.

Esta é a segunda reunião do CAS realizada este ano fora de Manaus, por decisão do ministro Furlan de reunir o Conselho também nos demais estados que compõem a área de jurisdição da Suframa, com o objetivo de buscar maior proximidade com a realidade local.

Somados aos investimentos aprovados nas duas outras reuniões realizadas este ano, o Pólo Industrial de Manaus contabiliza um volume de negócios em fase de implantação da ordem de US$ 1,4 bilhão, o equivalente a 60% do total registrado no ano passado, durante as cinco reuniões do CAS, que totalizou cerca de US$ 2 bilhões.

Dos 35 projetos industriais de ampliação, atualização e diversificação, a maioria é de produção de componentes do setor eletroeletrônico e de informática, como monitores de vídeo com tela de cristal líquido (Samsung Eletrônica e Fanorte), cinescópios para TV em cores (LG Philips e Compaz), carregadores de bateria para celular (Flex), amplificadores (Philips e Flex), além de produtos como condicionadores de ar split (Semp Toshiba), DVD players (Elsys, Evadin e Gradiente).

Entre os 22 projetos industriais de implantação, destacam-se as seguintes linhas de produção no setor de eletroeletrônicos e informática: alto-falantes e caixas acústicas (Compaz), partes e peças para veículos de rodas, triciclos e quadriciclos (Yamaha), rádios e auto-rádios com toca-disco a laser (SVA da Amazônia), subconjuntos para telefone celular (Elcoteq da Amazônia), modens e microcomputadores portáteis (TT).

Também há projetos de serviços e produtos de outros setores que confirmam a tendência das empresas do Pólo Industrial de Manaus de diversificar sua produção, buscando novos nichos de mercado, como: distribuição de produtos do gênero alimentício (RO Distribuidora, Comércio e Representação), serviços de armazenagem (Super Terminais Comércio e Indústria Ltda.), coleta de resíduos e incineração (Manaus Limpa), laminados de ferro e aço, perfis para estrutura metálica, telhas metálicas (Gerdau Açominas), árvores e enfeites de natal (Natal da Amazônia), concentrados para refrigerante (Incal e Tholor do Brasil), papel higiênico, lenços de toalha de papel, toalhas e guardanapo de papel (CCM).

Pauta do Amapá

O Amapá levará como pauta para a reunião do CAS a situação da Área de Livre Comércio, principalmente no que diz respeito ao futuro dela. O Estado também reivindicará a participação permanente no Conselho da Suframa. Até hoje, nem o governo do Estado, nem os prefeitos de Macapá e Santana, cidades que estão dentro da Área de Livre Comercio, têm direito a voz e voto nas reuniões do CAS. Todas as participações do Amapá têm sido como estado convidado.

Outro ponto de discussão levantado pelo Amapá será a inserção do Porto de Santana como instrumento de viabilização das exportações do país, por sua posição geográfico-estratégica.

Programação

Os membros do Conselho de Administração da Suframa possuem uma agenda de compromissos que inicia nesta quinta-feira, 15, com o lançamento do Selo de Origem de Produtos do Amapá, em cerimônia que ocorrerá às 20 horas, no Monumento Marco Zero do Equador.

Na sexta-feira, 16, antes da reunião do CAS, às 9 horas, está programada uma reunião do Grupo de Trabalho Executivo do Programa Estado Exportador, e o lançamento do Programa de Desenvolvimento e Diversificação das Exportações dos Estados. Após a reunião do Conselho, o governador Waldez Góes oferecerá um almoço aos conselheiros e líderes empresariais presentes. À tarde, prossegue a reunião do GT Executivo do Programa Estado Exportador.

Em seguidan a comitiva do CAS e técnicos da Suframa visitam a obra de construção do Complexo da Incubadora de Empresas, o porto de Santana e o Distrito Industrial de Santana.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Suframa
Departamento Central de Notícias
[email protected]
Contatos 212 1169

 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.