Sebrae conclui censo empresarial do Amapá

Contagem de empresas formais e informais revela o crescimento animador da atividade empresarial no Estado em relação aos anos anteriores

Tanha Silva

O número de empresas de micro, pequeno, médio e grande porte, formais e informais, dobrou no Amapá em relação aos últimos anos. É o que revela o resultado do censo empresarial que o Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) realizou nos municípios de Macapá e Santana.

O estudo sócio-econômico promoveu pesquisa de campo com duração de quatro meses - de setembro a dezembro do ano passado. Todas as ruas dos bairros de Macapá e Santana foram visitadas pelos 45 pesquisadores contratados e treinados para a atividade.

Os dados mostram que até 2002 existiam 2.500 empresas em Macapá. Hoje esse número saltou para 8.837, dessas 3.968 são informais. Em Santana as estatísticas também são bastante positivas. O salto foi de 622 para 2.205 empreendimentos, sendo 1.021 informais. O total é animador: 11.042 negócios entre formais e informais.

As informações coletadas compõem o SADE (Sistema de Apoio a Decisão Empresarial), o maior banco de dados empresariais já administrado pelo Sebrae no Amapá. O SADE é mais um serviço que a instituição vai oferecer ao mercado empreendedor. A filtragem de informações é simples e rápida. De acordo com a solicitação do usuário o sistema emite todos os tipos de relatório, dos mais simples aos mais complexos.

"Os dados foram checados e analisados para averiguar-se a existência real das unidades empresariais. A segunda fase foi a análise do sistema já alimentado. Foi verificada a localização georeferenciada das empresas em todos os bairros", disse a técnica da área de pesquisa do Sebrae, Neuzete Marques Cruz.

Quando lançado, o censo empresarial, além de ser utilizado por agentes econômicos, empreendedores e futuros empresários, será referência para o Sebrae atender seus clientes com orientações para créditos, consultorias, situação do mercado local, tomada de decisão de investimentos e muito mais. Isso porque os dados vão apontar não somente o número de empreendimentos, mas, também, os tipos de negócios que a população gostaria que houvesse em seus bairros, por exemplo.

O estudo sócio-econômico enfoca áreas de informações específicas como censo empresarial, cadeia de consumo e pesquisa populacional.

Isso quer dizer que no censo empresarial é possível ter-se o número de empresas existentes por ramo de atividade, as formais e informais, nível de satisfação dos negócios, motivo das insatisfações, mão-de-obra contratada, faturamento, número de clientes, principais produtos comercializados, tempo de funcionamento, vida média das empresas, vocação econômica do bairro, além de muitos outros dados.

Na pesquisa da cadeia de consumo das empresas dos setores da indústria, comércio e serviços é possível se chegar a informações como matéria-prima consumida e sua origem, freqüência de compra, dificuldade de aquisição, fornecedores e quantidade.

A pesquisa populacional é um complemento às informações empresarias. Os moradores dos bairros foram entrevistados para identificar-se a necessidade de consumo da população bem como suas sugestões para implantação de novos negócios tendo como foco a classificação sócio-econômica dos consumidores, mercadorias e serviços difíceis de serem encontrados no bairro, produtos ou serviços costumeiramente comprados ou utilizados, mas que não satisfazem a população.

"Na checagem, no município de Macapá constam 43 bairros e localidades não oficialmente conhecidas como bairro, mas que foram consideradas como tal para melhor direcionar as consultas. Em Santana constam 13 bairros. Também com o objetivo de direcionar e agilizar as consultas dividimos os dois municípios em quatro zonas (sul, norte, leste e oeste), tendo como referencial o bairro Central", explicou Neuzete.

Em breve o censo empresarial será lançado oficialmente.

 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.