UNIFAP faz segunda chamada
dos candidatos aprovados
no Processo Seletivo 2003
Jorge Cesar

A Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) está realizando a convocação de candidatos classificados no Processo Seletivo 2003, para preenchimento de vagas não ocupadas na primeira convocação dos cursos de Direito, Enfermagem, Ciências Sociais, Ciências Biológicas (licenciatura), História, Matemática e Pedagogia, no campus Marco Zero do Equador.

Os candidatos convocados deverão comparecer no balcão de atendimento do Departamento de Registro e Controle Acadêmico (DERCA), para efetivarem suas matrículas, nos dias 18 e 19 de fevereiro do ano em curso, deverão apresentar originais e cópias dos documentos exigidos no Manual do Candidato, no horário das 8h30 às 12 horas e das 14 às 18 horas.

Segundo a diretora do DERCA, professora Wilma Gomes Silva Monteiro, a segunda chamada aconteceu na segunda-feira (17) em função de que no sábado, às 12 horas, encerrou a matrícula da primeira chamada, ou seja, do listão dos aprovados no Vestibular 2003.

No curso de Direito há 4 vagas, Enfermagem 2, Ciências Biológicas 1 vaga, Ciências Sociais 2, História 1 vaga, Matemática 3, Pedagogia 3 vagas. São vagas que serão preenchidas por candidatos aprovados no vestibular, mas que não haviam sido classificados nas vagas oferecidas inicialmente. Caso esses alunos chamados não compareçam até o dia 19, às 18 horas, no dia 20 será feita a terceira chamada.

Na quinta-feira, até às 11 horas, estará sendo publicado nos murais da Universidade um novo edital de convocação. Assim como, deverá ser publicado na página da internet da UNIFAP (www.unifap.br).

CURSOS
CANDIDATOS APROVADOS
CLASS
Direito
Allan Patrick Pantoja de Oliveira
Edineuza Miranda Alves
Maria do Socorro Dias de Matos
Ramon Vasconcelos Cardoso
51
52
53
54
Enfermagem

Claudiney Soares Uchoa
Raimundo Teodoro dos Santos Júnior

51
52
C.Biol. Licen

Rosinelson da Costa Gonçalves

31
Ciências Sociais

Sérgio Luiz Mendonça Gomes
Danubia Dutra dos Santos

51
52
História

Jacielson dos Santos Damaso

51
Matemática

Rogério Madureira Borges
Richardson de Freitas Tolosa
Carlos Wagner Fonseca Almeida

51
52
53



Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.