Festa de São Tiago ganha caminhada
Ecoturística-religiosa a partir deste ano


Uma reunião que acontece na terça-feira (18), às 15h, no Ceforh (Centro de Formação e Desenvolvimento de Recursos Humanos) irá definir os últimos detalhes para o lançamento da I Caminhada Ecoturística-Religiosa de São Tiago. O evento é o mais novo produto turístico que o Detur (Instituto de Desenvolvimento do Turismo do Amapá) lança no mercado. O encontro será com representantes de instituições que atuam no setor, como a ABIH (Associação Brasileira da Indústria Hoteleira), Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagens) e Associação dos Guias de Turismos. Assuntos como local de concentração, saída e valor do “kit caminhada” que estará sendo vendido serão definidos durante o encontro.

A diretora do instituto, Roseli Maria Mussel Gaspar, afirmou que o projeto já existia há algum tempo no instituto, mas nunca havia sido colocado em prática. “Nós agora estamos tirando do papel essa idéia que é importante no trabalho de valorização do turismo amapaense. O projeto também servirá para divulgar mais a de São Tiago”, avaliou.

Sobre o kit caminhada, a diretora do instituto explicou que ele será composto de um cajado, uma toalhinha e um saquinho para deposito de lixo e um documento semelhante a um passaporte, que será.

“O interessante é que o projeto permitirá não visa apenas o lado turístico. Ele também tem seu cunho religioso por estar ligado à festa que reverencia São Tiago, evento este que já faz parte do Calendário Turístico do Estado”, explicou a diretora do Detur.

A Festa de Santiago acontece no mês de julho na localidade de Mazagão Velho, no município de Mazagão. Fundada em 1770, às margens do rio Mutuacá, a cidade foi criada para abrigar 163 famílias de colonos portugueses vindas da costa africana em decorrência dos conflitos políticos-religiosos entre portugueses e muçulmanos na cidade africana de Mazagão.

Os portugueses e seus escravos chegaram no local por volta de 1771. A partir de 1777, em reverência a São Tiago, reviveram as batalhas que cristãos e muçulmanos travaram no continente africano.

A festa, uma das principais manifestações folclóricas do Estado, fundamenta-se na lenda que conta o aparecimento de São Tiago como o anônimo soldado que lutou heroicamente contra os mouros (mulçumanos). A lenda enfoca vários personagens e passagens interessantes ocorridos durante a disputa.

Desde a conquista das terras africanas, no século XVI, os portugueses, fervorosos católicos, tentaram obrigar os muçulmanos a se tornarem cristãos e aceitarem a fé em Cristo e o batismo de sua religião. Esse fato provocou a reação dos seguidores de Maomé que declararam guerra aos cristãos, dando origem à Lenda de São Tiago.


Joel Elias,

 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.