Agência vai coordenar projetos
de combate à
pobreza e melhoramento ambiental

Foi definido hoje pela manhã o orgamograma da UGP (Unidade de Gerenciamento de Programa) que coordenará a execução dos projetos que serão desenvolvidos no Estado com financiamento do Banco Mundial (Bird) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

São dois projetos distintos que ficarão sob a coordenação geral da Adap (Agência de Desenvolvimento do Amapá) e fazem parte do programa de combate a pobreza elaborado pelo Governo do Estado.

Pelo Banco Mundial o governo pretende conseguir o financiamento para o Projeto Comunidades Sustentáveis e pelo BID, o Projeto de Melhoramento Ambiental do Amapá.

O projeto Comunidades Sustentáveis foi elaborado para ser desenvolvido nas comunidades urbanas e rurais dos municípios de Macapá, Santana e Laranjal do Jari. Mas pode ser estendido também a Mazagão e Tartarugalzinho.
Na capital, o projeto abrangerá os bairros Novo Horizonte, São Jorge, Perpétuo Socorro e Buritizal, além do arquipélago do Bailique. No que se refere ao setor rural o trabalho será feito com os ribeirinhos, extrativistas, pescadores artesanais, donas de casa e comunidades indígenas.
“A população alvo será a que habita as áreas rurais do Estado e as que e as que ocupam a periferia dos maiores centros urbanos. O estudo de pré-investimento sobre o perfil da pobreza no Estado permitiu identificar que as ações devem beneficiar principalmente as prefeituras dos municípios citados”, explicou o presidente da Adap, Edmar Ney Tourinho Magno.
No que se refere ao Projeto de Melhoramento Ambiental as ações previstas são serviços de drenagem urbana, por intermédio da elaboração de planos-diretores de drenagem e obras de macrodrenagem em Macapá, Santana e Laranjal do Jari.

O projeto também contempla obras contra enchentes em Macapá e Santana, como a criação de unidades de conservação e obras de reabilitação em áreas de amortecimento de enchentes.

Para os dois municípios está previsto ainda o manejo integral de resíduos sólidos, incluindo o processo de coleta e destino final do lixo e o fechamento do aterro sanitário da Ilha Redonda, em Macapá e o de Santana, além de campanhas de educação ambiental.

O projeto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento contempla também a melhoria o melhoramento e ampliação do sistema de abastecimento de água e obras de saneamento em Macapá, Santana e Laranjal do Jari.

“Enquanto o projeto do BID trabalhará aspectos macros e as grandes obras, o projeto com o Bird abordará aspectos sociais e produtivos em nível de bairro organizado ou grupo de pessoas organizadas buscando soluções para situações específicas, dando destaque ä solução de problemas sociais de pequena escala e com soluções viáveis em curto prazo”, explicou Edmar Magno.

Joel Elias


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.