Trabalhador já pode emprestar
dinheiro e
descontar no holerite

Medida provisória do Governo autoriza desconto de até 30% do salário líquido para pagar prestação de empréstimo durante 36 meses O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou ontem medida provisória (MP) e decreto que permitem aos trabalhadores tomar empréstimos e quitá-los por meio de desconto em folha de pagamento. Pela proposta, empresas interessadas em oferecer o benefício aos seus funcionários têm de obter aval dos sindicatos para negociar os empréstimos com os bancos. Só então, poderão firmar convênios com as instituições financeiras que viabilizam a operação. Concluído esse processo, bastaria ao trabalhador procurar o departamento responsável na empresa e liberar o financiamento no valor de até cinco vezes o seu salário. A prestação não pode exceder o equivalente a 30% do salário líquido.

A medida provisória prevê ainda que o trabalhador opte em usar parte das verbas rescisórias na amortização desse tipo de empréstimo. Ou seja, caso
ele seja demitido, parte do dinheiro da indenização será usado para quitar a dívida.

A novidade agitou o mercado. O Bradesco anunciou que já está preparando sua linha de financiamento na nova modalidade, chamada de crédito em consignação ? comum nos casos de adiantamento do 13º salário e da restituição de Imposto de Renda. As taxas serão a partir de 2%, para prazo de 12 meses, e a partir de 3,9%, para 24 meses. Os detalhes ainda estão sendo finalizados, mas o produto já está disponível nas agências. O conglomerado Santander/Banespa deve divulgar hoje detalhes sobre o novo produto. Ontem, em reunião com membros da Força Sindical, a instituição discutiu acordo nos novos moldes. Ainda não se sabe quais serão as condições, mas a central sindical afirma que 1,2 milhão de metalúrgicos podem ser beneficiados pelo novo financiamento.

A Caixa Econômica Federal já opera o crédito em consignação. Empresas com contrato com o banco podem oferecer a seus funcionários empréstimos a taxas que variam de 2,5% a 4%, em até 36 meses, desde que seus funcionários recebam salário pelo banco. O valor da prestação não pode superar 30% da renda mensal líquida do trabalhador. Segundo a Caixa, só neste ano, o orçamento para essa linha é de R$ 1,6 bilhão, sendo que até hoje, R$ 1,1 bilhão já foram emprestados a funcionários de 7.600 empresas conveniadas.

Ainda não se sabe se o produto será reformulado para atender ao novo programa do Governo. No atual modelo, para conseguir o empréstimo, basta o trabalhador procurar seu empregador, candidatar-se ao crédito e aguardar a aprovação da Caixa. Aprovada a operação, é preciso ir até a agência, assinar o contrato e aguardar a liberação do dinheiro. O desconto é feito no holerite.

Troca oportuna

O presidente Lula classificou o novo empréstimo como uma "troca de ação entre parceiros". E recomendou aos sindicalistas que "joguem duro" para obter juros menores uma vez que a medida envolve um potencial grande de recursos. "Isso aqui não é nenhum favor do Governo, da Febraban nem de ninguém. É uma troca esperta, inteligente e oportuna." Ele lembrou que a moeda de troca é "o mais sagrado para o trabalhador, ou seja, salário".

Aposentado poderá ter o mesmo direito

A medida provisória assinada ontem pelo presidente Lula estende aos aposentados e pensionistas do INSS, pelo menos no papel, o direito ao mesmo sistema de empréstimo anunciado ontem para os trabalhadores na ativa. O presidente cobrou do Ministério da Previdência uma análise para saber se é possível descontar a prestação direto do benefício. Segundo o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, para que os pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) possam ter acesso a linhas de crédito com juros mais baixos para pagá-las com o desconto do benefício, falta ainda regulamentar a autorização que está sendo dada pela MP. "A MP autoriza para os aposentados, mas ainda não regulamenta, porque isso significa uma medida muito mais complexa. São 19 milhões de pessoas", disse.

Como vai funcionar

Onde obter o empréstimo: O pedido deve ser feito à empresa que se encarrega de fazer o convênio com o banco para viabilizar o desconto em folha. Para isso, a empresa deverá ter aval do sindicato.O financiamento não sai se não houver acordo entre empresa e banco Quem já oferece o empréstimo: Bradesco, que cobra juros a partir de 2% ao mês, para pagamento em 12 vezes e taxa a partir de 3,9% no caso de pagamento em 24 vezes. Caixa Econômica Federal: taxas variam de 2,5% a 4% mensais, com prazo de até 36 meses. O valor da parcela não pode ser superior a 30% da renda mensal líquida do trabalhador. Banespa/Santander deve anunciar suas condições hoje.

Financiamento: até cinco vezes o salário líquido do trabalhador, ou seja, após descontos do INSS e Imposto de Renda

Prazo do empréstimo: até 36 vezes

Prestação: até o equivalente a 30% do salário líquido do funcionário

Taxa de juros: varia de banco para banco

Forma de pagamento: em parcelas fixas cobradas na folha de pagamento

Opção: trabalhador poderá optar pela inclusão de verbas rescisórias na quitação desse tipo de empréstimo



Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.