ONGS Comemoram Dia Mundial da Água
na Chapada dos Guimarães/GO

Neste sábado, dia 22, durante toda a manhã, as ongs - Instituto Centro de Vida - ICV e a Associação para Recuperação e Conservação do Ambiente - ARCA de Chapada dos Guimarães estarão realizando evento comemorativo ao Dia Mundial da Água. Também participam a Prefeitura Municipal de chapada, escolas municipais , ambientalistas, representantes da UFMT e comunidade em geral. Todos são convidados a participar da manifestação. O ano de 2003 foi proclamado pela Organização das Nações Unidas - ONU como o ano da Mobilização Internacional pela socialização da Água Doce.


Neste sábado, dia 22, durante toda a manhã, as ongs - Instituto Centro de Vida - ICV e a Associação para Recuperação e Conservação do Ambiente - ARCA de Chapada dos Guimarães estarão realizando evento comemorativo ao Dia Mundial da Água. Também participam a Prefeitura Municipal de chapada, escolas municipais , ambientalistas, representantes da UFMT e comunidade em geral. Todos são convidados a participar da manifestação. O ano de 2003 foi proclamado pela Organização das Nações Unidas - ONU como o ano da Mobilização Internacional pela socialização da Água Doce.

Desde 1998 estão sendo feitos levantamentos sobre a produção de água doce em lagos, rios, pantanais, subsolo e chuvas em todo o mundo. Os dados são preocupantes, principalmente em relação ao desperdício de água em países como o Brasil e Estados Unidos. No Brasil a água é abundante mas existe a ameaça causada pelo desperdício. É preciso melhorar a eficiência de desempenho político dos governos, ong´s e iniciativa privada para que sejam fornecidos água de qualidade, coleta e tratamento de esgotos, coleta e disposição correta do lixo doméstico, entre muitas outras ações. Mato Grosso mesmo sendo considerado o "estado das águas", tem uma das mais altas taxas de desperdício de água do país.

Ações de educação ambiental para combater o desperdício devem ser intensificadas imediatamente, em parceria com os governos, iniciativa privada e comunidades. Assim, este evento no Dia Internacional da Água (22 de março/sábado) em Chapada dos Guimarães, marca o começo de um intenso trabalho para se buscar, junto à população, melhorar a qualidade de vida de todos através da preservação ambiental e do uso responsável da água potável, despertando o interesse da população e do poder público local na preservação dos recursos hídricos evitando o desperdício e otimizando o uso e o cuidado com a água.

Chapada dos Guimarães, distante 64 Km de Cuiabá e área prioritária de interesse turístico tem sérios problemas para levar água até a população. É como se a cidade estivesse em cima de uma grande caixa(serra) com muita água abaixo mas com pouca água acima. O atual ponto de captação da cidade , no córrego Monjolo, distante 2km da cidade está sofrendo a pressão da ocupação desordenada. O grilo Sol Nascente está no entorno de sua nascente. O mesmo ocorreu com o córrego Quinera, que abastecia toda a cidade há alguns anos. Na época da seca, esses córregos praticamente secam porque não houve preocupação com a proteção de suas nascentes. Os eventos turísticos como Carnaval, Festival de Inverno e Reveillon ficam bastante prejudicados porque falta água em toda a cidade. Até mesmo o horto florestal da cidade está sendo loteado por grileiros.

A programação começa às 9 horas com a mobilização de alunos, professores da rede escolar do Município os quais apresentarão trabalhos sobre a temática; a Prefeitura Municipal e Ong´s farão exposição de painéis informativos da realidade local; o espaço estará aberto à várias atividades artístico-culturais, culminando com uma caminhada até o Córrego da Quineira, próximo à piscina( onde havia o abastecimento da cidade ). Ali será realizada homenagem ao Dia Mundial da Água.

Programação:

- 9 horas: Na Praça Central de Chapada, animação de teatro, bonecos e início da mobilização com a montagem das exposições e manifestações sócio-culturais promovidas pela comunidade local e convidados

- varal de poesias, prosas e crônicas, artes plásticas; teatro espontâneo; abaixo assinado; música; a palavra do cidadão

-10:30 horas: Passeata até a piscina pública e margem do Córrego da Quineira, antigo abastecedouro da cidade

- 11:00 horas: "Abraço da Praça" em homenagem ao dia internacional de mobilização pela proteção das Águas Doces"




Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.