Internauta diz que o "governo Dalva"não foi tão ruim.

Caro Correa Neto...

Sou um leitor assíduo do seu site, acho muito importante para o Amapá e para o Brasil a forma ética que você tem de divulgar os fatos, no entanto, tenho notado algumas tendencias a exageros, principalmente, quando se trata de criticar a atuação de alguns membros do PT, especificamente os que atuaram no Governo Dalva. Eu particularmente acho, do ponto de vista do cidadão que sou, que o Governo Dalva foi melhor nos poucos meses de sua existência do que o Governo Waldez em 2 anos de mandato. Se não vejamos, o governo Dalva foi até hoje o que mais investiu em agua esgoto e eletricidade em toda a história do Estado do Amapá, sem falar que, o valor de investimentos em 8 meses de governo foi o mesmo do atual governo em 2 anos, sendo assim não podemos falar que este governo foi só mal, não é verdade.

Quanto ao governo atual, acho que não podemos responsabilizar só o Waldez pelos desmandos, devemos estender a responsabilidade a todos aqueles que na eleição subiram no palanque e foram a TV para pedir ao povo amapaense que votasse no Waldez, inclusive o Senador Capiberibe (de quem sou fã Incondicional) e o Prefeito João Henrique que perderam a oportunidade de salvar o Estado desta corja que hoje ocupa o poder. Só espero que reste pelo menos alguma coisa para podermos reconstruir o Estado ao final do Governo Waldez. Volto a Repetir não podemos nos esquecer de quem nos pediu para votar no Waldez.

Um grande Abraço.

Da Silva

Nota da redação- Se o leitor desconhece o que foi feito de condenável durante o "governo Dalva", consulte, por favor, a pilha de denúncias constanantes de um inquérito feito pela Procuradoria Regional da República, que hoje se encontra misteriosamente engavetado em algum lugar.

Sobre o "governo Dalva" ter feito a maior quantidade de esgotos, rede de água e energia da história do Amapá" , é uma afirmativa temerária que não resiste à qualquer análise, por mais superficial que seja.

Quanto aos que pediram votos ou votaram no Waldez, isso foi feito ANTES de o Waldez ser governador, quando sua história justificava acreditar que ele poderia ser um bom governador. Ainda não tinha acontecido nada do que está ocorrendo no Estado. Então não foram os eleitores que erraram.

Do ponto de vista do que se esperava de um governo petista, o da professora Dalva foi a negação quase absoluta. Não absoluta porque ninguém é completamente bom ou completamente ruim.




Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Matinta-perêra
Mulher velha que percorre distâncias à noite. Se afasta se alguém disser que lhe dará um pedaço de rolo de fumo. De manha ela vai buscar.
Cuíra
Diz-se de inquieto, ansioso,impaciente. Daquele que não agüenta a espera de alguma coisa que vai acontecer
Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.