Pronunciamento realizado,
em 24.03.03,
pela Deputada Janete Capiberibe,
no Pequeno Expediente.


SENHOR PRESIDENTE,
SENHORAS DEPUTADAS,
SENHORES DEPUTADOS,

É insuportável ver a crueldade dos poderosos contra os mais fracos. É insuportável ver o sofrimento imposto pelos poderosos contra os povos dos países considerados dependentes do capital internacional. Além de insuportável é inaceitável ver a força bruta das armas e do poder econômico humilhar populações inteiras que não aceitam serem subjugadas.

O que temos visto nestes últimos dias através das imagens mostradas pela televisão e pelos demais meios de comunicação, com a agressão norte americana ao povo iraquiano, deixa-nos entristecidos e consternados diante de tamanha brutalidade. A busca desenfreada dos EUA pelo controle das riquezas naturais, especialmente do petróleo, é revoltante. Mais entristecedor ainda é ver a subserviência de alguns governos e órgãos de imprensa, que usam a contra informação e, muitas vezes, a mentira para ludibriar as pessoas de boa fé.

Quero aqui dar sequência aos meu pronunciamento de sexta - feira passada, dia em que os parlamentares desta Casa fomos desrespeitados pelos representantes norte americanos, quando pretendíamos entregar um documento a embaixadora desse país. Defendi o boicote aos produtos norte americanos, com destaque a Coca - Cola, símbolo da dominação cultural, econômica e ideológica do império do norte.

Este refrigerante, criado em 1886, pelo farmacêutico Dr. John Styth, teve no dia 8 de maio desse ano o seu primeiro vidro vendido.

Um xarope caramelado e colorido misturado com água, vendido nas farmácias. Segundo propaganda de Jacobs Pharmacy”, uma farmácia da cidade de Atlanta, EUA, “para curar todos os males da alma e do corpo”.

No Brasil, chegou em 1942, possuindo cerca de um milhão de pontos de venda espalhados por todo o território nacional, com um consumo per-capta de 33.9 litros de todos os produtos da companhia. Representando o terceiro maior local de comercialização do produto, perdendo apenas para os EUA e o México.

A Coca - Cola está instalada em 200 países e obteve um lucro, em 2002, de 3,5 bilhões de dólares, de acordo com a Gazeta Mercantil. Esta mesma reportagem informou que a receita bruta chegou a 19,5 bilhões de dólares, alcançando a produção de 106,17 bilhões de litros em todo o mundo.

A composição dessa líquido tem entre seus componentes o ácido fosfórico e cafeína. De acordo com estudo publicado pela revista “Archives of Pediatric and Adolescent Medicine”, edição de junho de 2000, divulgado em artigo assinado por Nelson Candelária, mostrando o resultado de pesquisa realizada entre 460 meninas, de 9 a 10 anos, podemos ver o crime cometido contra crianças que bebem Coca - Cola.

O Ácido Fosfórico afeta o metabolismo do cálcio, diminuindo a resistência óssea. Muitas crianças substituem o leite por esse refrigerante, possibilitando o aparecimento de muitos casos de osteoporose. O Ácido Fosfórico rouba cálcio dos ossos. O estudo científico publicado mostra a relação existente entre fraturas ósseas e o consumo do refrigerante. Em pesquisa feita na Alemanha buscando identificar o porque do aparecimento de osteoporose em crianças a partir dos 10 anos, informa o Doutor Renato de Medeiros Silva que foi identificado como causa o excesso do consumo de Coca - Cola.

No estudo publicado, pela revista citada anteriormente, é mostrado o efeito do consumo de cafeína concentrado no refrigerante símbolo do poder norte americano. São observados os seguintes problemas: gastrointestinais, renal e nervoso central. Provoca ainda nervosismo, cefaléia, irritabilidade, agitações, tremores e vários problemas no organismo humano.

O líquido ainda é usado para limpar as mais variadas sujeiras, desde ferrugem até gordura. Dissolve um prego, colocado dentro do líquido, em quatro dias. Os patrulheiros rodoviários, de vários Estados norte americanos, carregam dois galões na viatura para remover sangue do asfalto depois de acidentes de carro. Um bife colocado em uma vasilha com Coca - Cola desaparece em dois dias. Os caminhões que transportam esse xarope são obrigados a usar uma placa indicando “Material Perigoso”.

Diante do entristecedor momento que a humanidade atravessa, com o imperialismo norte americano não respeitando os organismos jurídicos internacionais, especialmente a ONU, ao atacar o Iraque de forma unilateral, é preciso que todos nós nos manifestemos pela paz e pelo respeito aos direitos humanos. Nenhum país tem o direito de interferir nos assuntos internos de outros povos. Cada povo tem a capacidade de agir e reagir diante do arbítrio e do autoritarismo. O único que tem o direito de impor algo a seu governo é o próprio povo. Não à guerra. Não à morte. Em defesa da vida vamos deixar de usar os símbolos americanos, entre os quais, o mais popular, a Coca - Cola. Diga não aos EUA, diga não à Coca - Cola.

Era o que tinha a dizer.

DEPUTADA JANETE CAPIBERIBE


 


Doce Amazônia

Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Titica
Cipó muito usado para a fabricação de móveis. Chegou à beira da extinção.
Perau
Lugar perigoso do rio. Parte mais funda, onde o rio "não dá pé".
Timbó
Um tipo de veneno usado para matar peixes. Bate-se a planta na água, e o veneno se espalha. sem contrôle, mata.
Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.