Lixo do primeiro mundo
usado
na Internet brasileira

Um acordo falso entre as grandes provedoras de Internet e as agencias de telecomunicações, como Telefônica em SP, Telecom no Sul, Telemar no RJ, entre outras, frauda totalmente os Direitos do Consumidor, principalmente no que se trata de ACESSO DE ALTA VELOCIDADE, como ADSL (speedy), Mult Link, LP's, entre outros.

Está provado que através de uma linha telefônica comum podem ser feitas conexões de até 512 kpbs, onde hoje as provedoras permitem no máximo uma conexão de 56.6 kbps, quando chegam neste ponto.

Fora do Brasil não existe mais conexão discada. A América Online, por exemplo, trouxe todos os seus equipamentos antigos, que já se encontravam obsoletos no mercado americano, para cá, e mais uma vez o brasileiro usa o lixo do primeiro mundo, achando que é tecnologia de ponta.

A diferença é apenas que os modems que fazem esse tipo de conexão são diferentes, externos como os das conexões ADSL, mas utilizam a linha telefônica comum e se conectam à 512 kpbs (para transmissão e recepção de dados, melhor que os atuais ADSL do mercado, que transmitem com a metade da velocidade que recepcionam). Um modem desses, já fabricados para efeitos
de testes por empresas como a 3Com, Lucent, Motorola e Genius, custariam no mercado algo em torno de 150 reais.

Ou seja, você precisaria apenas de adquirir o modem, gastando uma só vez uma quantia razoável, e ter uma assinatura de acesso discado com qualquer provedora de renome que deveria oferecer esses serviços.

Mas ao invés disso, o consumidor brasileiro é enganado e paga só de instalação mais de 200 reais, não tem posse dos equipamentos, que são alugados e você paga por mês, além da mensalidade ser altíssima. E na maioria das vezes cobradas pelas empresas de telecomunicações e provedoras simultâneamente, o que também é outra operação nitidamente ilegal perante o código do consumidor. O sistema já é ilegal por sí só, sendo que eles oferecem tecnologia obsoleta como se fosse de ponta. E dentro do próprio sistema, eles ainda colocam mais ilegalidades, como estas, de obrigar a comprar um serviço para poder utilizar outro.

As provedoras de internet e empresas de telecomunicações não colocam esses serviços que são simples e eficientes à disposição dos clientes só porque seus lucros seriam bem menores, uma vez que o equipamento poderia ser comprado até no viaduto Santa Efigênia em São Paulo, como hoje em dia você
compra um modem qualquer ou uma placa de rede, além do fato que a mensalidade seria acessível como uma conexão discada comum que existe hoje em dia, por causa da concorrência. Talvez até mesmo provedoras gratuitas poderiam fornecer tal acesso, de tão simples, eficiente e funcional que é o sistema.

A ignorância do povo faz mais uma vez o regime capitalista vingar, onde os poderosos ficam cada vez mais ricos e você fica cada vez mais lesado.

Mas essa situação pode facilmente ser revertida, basta você enviar esta mensagem para o maior número de pessoas de sua lista, e também, para os órgãos competentes, pois somente assim as provedoras e empresas de telecomunicações vão perceber que não conseguirão mais enganar os internautas com toda essa fraude e ladainha de conexão RÁPIDA.

Espalhe essa mensagem em nome dos seus Direitos e pela dignidade dos Internautas.

Atenciosamente,

Reynaldo Andersen K. Pellegrini
Engenheiro ITA - Novas tecnologias
Revista Consultor Jurídico

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.