BAILIQUE ON LINE

Desde o dia nove de agosto, o Arquipélago do Bailique está, definitivamente, conectado à rede mundial de computadores.
Após dois dias de testes e ajustes, técnicos da Empresa de Processamento de Dados do Amapá (PRODAP) e da Embratel concluíram a ativação da antena de comunicação via satélite em alta velocidade.

Esse é mais um passo importante para a concretização do projeto Rede Estadual de Comunicação, que vai interligar todos os municípios do Amapá via satélite. Em, pelo menos, quatro municípios as antenas já estão instadas - Amapá, Porto Grande, Laranjal do Jarí, Oiapoque.

A partir de agora uma nova realidade faz parte da rotina da comunidade bailiquense. A possibilidade de estar conectada 24 horas com o mundo através da internet.

A tecnologia vai permitir avanços até bem pouco tempo impensados. Um exemplo disso é a emissão de carteiras de identidade, agendamento de leitos nos hospitais de Macapá, entre outros serviços.

Alunos e professores da Escola Bosque são altamente beneficiados com a ativação da antena. O ensino a distância é um dos grandes ganhos para a comunidade acadêmica do Arquipélago. Eles terão acesso a cursos, seminários, debates e outros eventos sem precisar sair do Bailique.

AMAZÔNIA BR - O Projeto Navegar é uma das atrações na quinta semana da exposição Amazônia Br. O evento é uma iniciativa do Serviço Social do Comércio de São Paulo e está acontecendo no SESC Pompéia, no bairro de Perdizes.

Um pedaço da região amazônica foi trazido para cá. Réplicas de animais e das matas, belas fotografias que traduzem os encantos da beleza amazônica, a música e a cultura dos estados estão levando os paulistas a uma viagem maravilhosa pelos rios e mistérios dessa região, que é hoje uma das mais cobiçadas do planeta.

O PRODAP, um dos órgãos participantes da exposição, está exibindo imagens, on line, via satélite do Bailique para São Paulo e para o mundo pela internet em horários pré-estabelecidos. O endereço para acesso é www.amapa.gov.br/vonline.

Um grupo de jovens vai conversar com estudantes do Bailique, pela internet, no canal de bate-papo do site www.amazoniabr.net sobre meio ambiente e Amazônia para gerar um manifesto que será encaminhado para o evento promovido pela ONU para discutir o meio ambiente e desenvolvimento, dez anos após a realização da Rio-92. É o Rio + 10 que será realizado em Joanesburgo, África do Sul, no mês de setembro.


TANHA SILVA
SÃO PAULO
13/08/02
[email protected]

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.