Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.

Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.

Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.

Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.

Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa

Jacaré Açu
Jacaré grande.

Jacaré Tinga
Jacaré pequeno

Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.

Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens

Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.

Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher

Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.

Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.

Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo

Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)

Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.

Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 


MPE processa jornal
mineiro por artigo ofensivo


Chega a R$ 50 milhões o valor da indenização pedida na Ação Civil Pública movida elo Ministério Público Estadual (MPE), contra o jornal Hoje em Dia, de Minas Gerais, que publicou no final do ano passado artigo considerado ofensivo à honra do povo amapaense. O autor do texto é o geógrafo Eduardo Almeida Reis, que mora na cidade mineira de Itambé do Mato Dentro.

No artigo, o autor afirma que somente com o episódio da morte do navegador neozelandês Peter Blake foi possível para o país conhecer a figura do amapaense, portanto tratando-se de um lugar de assassinos. Vai mais longe, chegando a propor a venda do Amapá para a criação de um estado palestino, pondo fim ao confronto entre judeus e palestinos, além de considerar o estado “inviável”.

A Ação Civil Pública foi protocolada no Fórum de Macapá às 11 horas da manhã e é assinada pelo corregedor-geral do MPE, o procurador de Justiça Márcio Alves, além dos promotores de Justiça Éder Abreu (Cidadania e Direito Constitucional) e Marcelo Moreira (Meio Ambiente e Patrimônio Público). ( Cleber Barbosa )