CEA lança cartilhas educativas
para o combate às drogas

A CEA (Companhia de Eletricidade do Amapá) lançou ontem, 17 de dezembro, terça-feira, uma série de cartilhas educativas. Esta é mais uma ação no combate contra as drogas que já é desenvolvido pela empresa desde outubro de 2001, quando a CEA organizou o primeiro passeio ciclístico da campanha antidrogas.
A empresa entendeu que precisava intensificar a campanha este ano e seguindo uma orientação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) assinou um termo de cooperação para editar uma série de cartilhas educativas que servem como guias para evitar o consumo de drogas. Empresas elétricas de todo país participam do projeto.

Todo o material recebido pela CEA foi adaptado, e as cartilhas espelham a realidade local. “O próximo passo será distribuir essas cartilhas principalmente nas escolas da rede pública de ensino”, explica Ari Jorge Alves coordenador da campanha antidrogas.

São cinco cartilhas que compõem o pacote.: “Um Guia para Família”, “Conversando sobre Cocaína e Crack”, “Aspectos básicos do tratamento da síndrome de dependência de substâncias psicoativos”, “Maconha: informação para adolescentes” e “Álcool o que você precisa saber”.

Durante a cerimônia a secretária de educação, Janice Palmerim, lembrou da importância do diálogo entre pais e filhos, já que o maior índice de consumo de drogas está entre os jovens e muitas vezes os pais não conseguem perceber que seus filhos estão envolvidos com narcóticos e quando percebem a situação pode estar bastante grave.

A secretária fez um paralelo com os problemas que estão ocorrendo na Casa do Estudante em Belém, onde, segundo denúncias, o consumo de drogas em “festinhas” noturnas vinha trazendo prejuízos para a comunidade universitária que residente no espaço mantido pelo governo. “Foram alguns alunos e a vizinhança, que não compactuavam com aquilo que denunciaram e nós fomos lá para averiguar e tentar solucionar o problema, mas é muito difícil quando não se tem o apoio do pais ”, reconhece Janice Palmerim.

Aproveitando este contexto o presidente da CEA, Luiz Monteiro, reforçou: “Participar desta campanha contra as drogas é uma maneira que a CEA encontrou para colaborarmos com a sociedade para que possamos manter nossos jovens longe deste caminho”.


Qualidade da Administração:


A direção da estatal aproveitou a solenidade para entregar o troféu “Qualidade da Administração” criado para premiar aqueles funcionários que mereceram destaque durante o ano de 2002.

Foram cinco os servidores premidaos. O diretor técnico, Josimar Peixoto, o ex-presidente da companhia e deputado estadual eleito Joel Banha Picanço, Hélio Esteves, também ex-presidente da CEA e deputado federal eleito pelo PT e Ari Jorge Alves.


Carolinne Assis e Edgar Rodrigues

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.