Conheça algumas "pérolas" do jornalismo.

Os manuais de redação dos jornais gastam páginas e páginas com
recomendações aos seus profissionais. No final, a súplica: "Tenham pena do
leitor. Releiam os textos." No entanto, muitos profissionais não ligam
para isso. Na pressa, soltam a matéria sem revisão.

Resultado: os jornais estão cheinhos de "pérolas". Os
leitores atentos, anotam-nas. Vejam só algumas delas.

Divirtam-se ou chorem!

"Depois de algum tempo, a água corrente foi instalada no cemitério para a satisfação dos habitantes."
(Eles deviam estar com muita sede, coitados...)

"A nova terapia traz esperanças a todos os que morrem de câncer a cada ano."
(Viva a ressurreição!)

"Apesar da meteorologia estar em greve, o tempo esfriou ontem
intensamente."
(Não pagaram os direitos do El Niño. Olha no que deu...)

"Os sete artistas compõem um trio de talento."
(Al guém aí tem uma calculadora?)

"A vítima foi estrangulada a golpes de facão."
(Que horror...)

"No corredor do hospital psiquiátrico, os doentes corriam como loucos."
(É mesmo?! Que coisa impressionante!!!)

"Ela contraiu a doença na época em que ainda estava viva."
(Que azar, coitada!)

"O aumento do desemprego foi de 0% em novembro."
(Onde vamos parar desse jeito?)

"O presidente de honra é um jovem septuagenário de 81anos."
(Quanta confusão!)

"Parece que ela foi morta pelo seu assassino."
(Como conseguiram desvendar o mistério?)

"A polícia e a justiça são as duas mãos de um mesmo braço."
(É, todo mundo já sabia que eram defeituosas...)

"O acidente foi no tristemente célebre Retângulo das Bermudas."
(Não era Triângulo das Bermudas?)

"Quatro hectares de trigo foram queimados. A princípio, trata-se de um incêndio."
(Achei que fosse uma churrascada!)

"O velho reformado, antes de apertar o pescoço da mulher até a morte, se suicidou."
(A volta dos mortos-vivos)

"À chegada da polícia, o cadáver se encontrava rigorosamente imóvel."
(Viu como ele é disciplinado?)


Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.