Índice de preços ao consumidor
em Macapá caiu
caiu 0,31% no mês de junho

Pesquisa realizada em 330 unidades econômicas (comércio e serviços), no período de 1º a 28 de junho, em Macapá, registrou queda no Índice de Preço ao Consumidor - IPC, de 0,31%, ficando 0,18 pontos percentuais abaixo do IPC de maio (0,49%)). A informação foi prestada na quarta-feira, 17, pelo Departamento de Estatística e Informação, da Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral - Seplan. O índice vem sendo divulgado mensalmente, desde junho de 1996, com divulgação da Cesta Básica recomendada para uma família com cinco pessoas adultas, que este mês ficou em R$ 105,92.

Segundo a chefe da Divisão de Estatística, Leila Sílvia Sacramento da Silva, contribuiram para o resultado de junho, os preços dos produtos dos grupos móveis e equipamentos domésticos que aumentaram 1,21% e do grupo despesas e serviços pessoais que subiram em 0,41%.

Como o resultado de junho diz ela, o valor da Cesta Básica Oficial de junho, correspondente a 57,35% do salário mínimo líquido vigente, que está em torno de R$ 184,70.

O IPC indica as variações nos preços de bens e serviços que compõem o orçamento familiar de uma unidade de consumo com renda mensal de um a seis salários mínimos, utilizando-se para o cálculo do índice. A metodologia é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.

GRUPOS - O grupo que registrou a maior alta no período foi o de móveis e equipamentos domésticos, que representa 8,63 % no orçamento familiar, cujos preços subiram em média 1,21% em relação ao mês anterior. O acréscimo foi de 0,51 p.p.

O grupo alimentação e bebidas, corresponde a 57,6% no orçamento familiar. O grupo apresentou uma variação de 0,13% em relação ao mês anterior. Os produtos que contribuiram para a valiação positiva do grupo foram: macarrão, peixe, margarina, vegetal, entre outros.

Vestuário, que corresponde a 13,4% com uma quantidade de 33 itens, registrou uma variação positiva de 0,62%, apresentando uma queda em seus preços médios de 0,12 p.p. Esta pequena queda foi influenciada pela variação negativa nos preços dos artigos: lençol, tecidos e tênis.

O grupo transporte e comunicação que representa 2,6% do orçamento famíliar. No mês de junho, o grupo não apresentou variação nos preços médios dos produtos e serviços que compõem o grupo em relalção ao mês anterior. O aumento nos preços dos combustíveis ocorrido na última semana de junho só deverá se refletir no índice do mês de julho.

Habitação que corresponde a 6,20% do orçamento familiar apresentou em junho variação de 0,07%. Os itens que influenciaram o resultado de junho foram os aumentos do aluguel e do carvão vegetal.
O grupo saúde que representa 1,68% no orçamento familiar apresentaram variação positiva de 0,18% e atendimento médico não apresentou variação relativa ao mês de maio.

Fonte: Departamento de Estatística e Informação, da Seplan.

Carlos de Jesus Pereira



Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.