Presidente do Banco Mundial
se reúne com
governadores da Amazônia


O presidente do Banco Mundial (Bird), James Wolfensohn, participou hoje (segunda-feira) de uma reunião com os governadores eleitos da Amazônia, entre eles Waldez Góes, do Amapá. A reunião serviu para que fosse discutida uma possível estratégia do Brasil para conservação e desenvolvimento sustentável da Amazônia, esclarecer como o Programa Nacional de Florestas pode implementar parte desta estratégia e para destacar a intenção do Bird de apoiar as ações de redução da pobreza e desenvolvimento sustentável do Norte do Brasil.

O Amapá já tem aprovada carta de crédito para receber financiamento de US$ 4,8 milhões do Bird, para investir em projetos de geração de emprego e renda na zona rural. A perspectiva é que os recursos sejam liberados a partir do primeiro semestre de 2003.

O ministro do Meio Ambiente, José Carlos Carvalho, o presidente do Ibama, Rômulo Melo, e a secretaria da Amazônia do Ministério do Meio Ambiente, Mary Allegreti, participaram da reunião de hoje, realizada das 14h30 às 17 horas, na Biblioteca Clara Galvão, do Museu Emílio Goeldi.

Dos governadores da Amazônia, apenas Blairo Borges Maggi, do Mato Grosso, e Eduardo Braga, do Amazonas, não estiveram presentes. Jorge Viana, reeleito governador do Acre, representou o governo de transição de Luís Inácio Lula da Silva, do PT. Representantes da sociedade civil e do setor privado também marcaram presença.

Os participantes debateram sobre as áreas de consenso para uma estratégia de desenvolvimento para a Amazônia, sobre o papel do Programa Nacional de Florestas e sobre como o Bird pode apoiar as iniciativas de desenvolvimento na região.

Um dos temas que despertou discussão mais acalorada foi o papel da pesquisa científica e tecnológica no desenvolvimento sustentável. O atual governador do Pará, Almir Gabriel, foi criticado por pesquisadores, quando disse que a Amazônia já tinha muita pesquisa realizada e que era hora de partir para as ações de desenvolvimento na região.

O governador eleito Waldez Góes, em sua intervenção, elogiou a iniciativa de realização do evento, neste momento em que novos governadores da Amazônia preparam-se para tomar posse. Ele lembrou o financiamento que o Amapá vai receber do Bird e a necessidade que o Estado terá de apoio financeiro para desenvolver suas vocações naturais. Frisou, ainda, a contribuição que o Estado dá ao País e ao mundo, com a criação do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, e a necessidade de receber contrapartidas por isso.

Ao final da reunião, o governador Jorge Viana sugeriu que novo encontro seja realizado no início de 2003, tão logo os novos governadores dos estados da Amazônia tenham se reunido com o presidente Lula, para discutir questões da região.
Marcelo Roza



Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.