Governador eleito recebe
relatório da transição

O governador eleito Waldez Góes reuniu-se ontem (terça-feira) à noite com sua equipe de transição, para receber o relatório que aponta a situação administrativa, financeira e operacional do Governo do Estado. A reunião aconteceu no anexo do Ceforh, onde a equipe de transição vem trabalhando. Depois de analisar os dados recebidos, Waldez Góes dará uma entrevista coletiva à imprensa, para repassar as informações obtidas.

A apresentação do relatório foi feita pelo coordenador da equipe, Ildegardo Alencar, auxiliado pelos coodernadores de áreas. Ao final da apresentação, Waldez Góes parabenizou a equipe pelo empenho no trabalho, lembrando, contudo, que a entrega do relatório não significa que o processo de transição esteja concluído. “Vamos continuar trabalhando, recolhendo o máximo possível de informações para assumirmos o Governo em condições de bem servir a população”.

O senador Sebastião Rocha (PDT) e o senador eleito Papaléo Paes (PTB) participaram da reunião.

Audiência com a governadora

Uma pessoa indicada pela equipe de transição terá direito a uma senha para poder entrar no sistema de controle orçamentário e financeiro do Governo do Estado, a fim de acompanhar a gestão dos recursos públicos nos últimos dias do atual governo. Autorização neste sentido, solicitada pela equipe de transição de Waldez Góes, foi dada ontem pela governadora Dalva Figueiredo, durante audiência no Palácio do Setentrião com o governador eleito.

Além de Waldez e Dalva, participaram da audiência o secretário de Estado de Governo, Edvan Barros, o coordenador da equipe de transição, Ildegardo Alencar, e os coordenadores das áreas de Serviços Jurídicos, Ricardo Oliveira, e Planejamento e Fazenda, Edmar Magno.

Outro pedido da equipe do governador eleito não foi atendido por Dalva Figueiredo. Ela não aceitou que um integrante da equipe de Waldez Góes pudesse participar das tomadas de decisões sobre pagamentos a serem efetuados pelo Governo do Estado, ainda este ano. Ela alegou que esta é uma prerrogativa sua, como governadora.

Também atendendo solicitação da equipe do governador eleito, Dalva Figueiredo comprometeu-se em encaminhar à Assembléia Legislativa o projeto de lei que cria o Fundo de Desenvolvimento do Estado e dos Municípios. A minuta do projeto será encaminhada à governadora nos próximos dias.

A audiência de terça-feira, no Setentrião, também serviu para que a governadora e o governador eleito discutissem alguns aspectos sobre a cerimônia de posse de Waldez Góes, marcada para o dia 1º de janeiro. O horário da solenidade ainda não foi definido.

Aniversário

Antes da audiência com a governadora, Waldez Góes esteve em Santana, participando das festividades do aniversário do município. Ele participou de um culto ecumênico, junto com o prefeito Rosemiro Rocha, senador Sebastião Rocha, deputado federal eleito Gervásio Oliveira, deputada estadual eleita, Mira Rocha, e deputado estadual Eider Pena.

Falando a jornalistas, Waldez Góes lembrou que seu programa de governo visa o fortalecimento dos municípios e que Santana, do ponto de vista econômico, social e cultural, é um dos mais importantes do Estado.

Marcelo Roza

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433

Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy

Doce Amazônia
Doces e licores
de frutas regionais.
Deliciosos.
0XX96 224 1491



 

Catinga de mulata
Catinga é cheiro ruim, mas "Catinga de mulata"é cheiro bom, tanto que virou nome de perfume nos idos dos anos cinquenta
Remanso
Ponto onde o rio se alarga, a terra forma uma reentrância e as águas ficam mais calmas
Bubuia

Aquelas minúsculas bolhas de espuma que se formam na corrente do rio. Viajar de bubuia é ser levado pelas águas. "De bubuia, título de canção popular.
Piracema

Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.