Jardim Felicidade
ganha complexo
de esporte e lazer

O Governo do Amapá inaugura neste sábado, 23, às 8h30, a praça com campo de futebol do bairro Jardim Felicidade II, na zona norte da capital. A obra beneficia diretamente mais de 15 mil pessoas residentes naquele bairro. Foram consumidos R$ 360 mil na execução do projeto, empregando mais de 50 pessoas, em 90 dias de trabalho coordenado pela Secretaria de Estado da Infra-Estrutura (Seinf).

O empreendimento faz parte do plano de obras do setor infra-estrutura previsto para este ano, que vai contemplar mais nove praças com campo de futebol, distribuídas na capital e interior do Estado. Criado há cerca de 15 anos, o Jardim II dispõe de infra-estrutura básica com água, energia elétrica, saúde, educação e segurança pública.

A praça tem 10.350 metros quadrados de área construída, toda urbanizada, envolvendo duas lanchonetes, brinquedos infantis (balanço coletivo, gangorra e casinha com escorrega), quadra de voleibol, campo de futebol com duas arquibancadas em estrutura metálica, cabine para transmissão de jogos e vestiários.

Possui ainda calçadão com bancos para contemplação. Ao longo de sua extensão, de 4.135 m², o calçadão é revestido de tijolinho cerâmico da região, o mesmo que está sendo utilizado nas reformas e construções das praças públicas da cidade.

As novas praças estarão situadas nos bairros Novo Horizonte, Laguinho e Congos (em Macapá) e Paraíso (em Santana). Os municípios de Cutias, Ferreira Gomes, Tartarugalzinho, Pracuuba e Pedra Branca do Amapari, também ganharão praças novas.

Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento e Urbanismo da Seinf, Ozimael Amoras, desse número, exceto o empreendimento esportivo dos Congós, que terá a parceria da Prefeitura de Macapá, todos os outros serão construídos com recursos estaduais e federais. (Carlos de Jesus)

Bombons da Sol
Bombons de chocolate com recheio de frutas regionais.
Deliciosos,
Pedidos pelos telefones 223 4335 e 9964 7433


Tia Neném
Lanches, sucos naturais e comidas regonais e nacionais.
Tacacá especial.
Tradição de 30 anos.
Cônego Domingos Maltez próximo da Eliezer Levy



 

Jurupary
Ente do mal. Demônio dos olhos de fogo que vive na floresta
Piracema
Época em que cardumes de peixes sobem os rios para a desova
Pedra do rio
Diz a lenda que que são as lágrimas de uma índia que chorava a perda do amado. É onde está a íagem de São José, na frente de Macapá.
Macapá
Vem de Macapaba, ou "estância das bacabas".
Bacaba
Fruto de uma palmeira, a bacabeira. O fruto produz um vinho grosso parecido com o o açai.
Curumim
Menino na linguagem dos índios, expressão adotada pelos brancos em alguns lugares.
Jurupary
O demônio da floresta tem os olhos de fogo, e quem o vê, de frente, não volta para contar a história.
Yara
É a mãe d'água. Habita os rios, encanta com a suavidade da voz, e leva pessoas para o castelo onde mora, no fundo do rio.
Pitiú
Cheiro forte de peixe, boto, cobra, jacaré e
outros animais.
Ilharga
Perto ou em volta de alguma coisa
Jacaré Açu
Jacaré grande.
Jacaré Tinga
Jacaré pequeno
Panema
Pessoa sem sorte, azarada. Rio em peixe.
Sumano
Simplificação da expressão"ei seu mano",que é usada por quem passa pelo meio do rio para saudar quem se encontra nas margens
Caruana
Espíritos do bem que habitam as águas e protegem as plantas os homens e os animais.
Inhaca
Cheiro forte de maresia, de axilas de homem, de peixe ou de mulher
Tucuju
Nação indígena que habitava a margem esquerda do rio Amazonas, no local onde hoje está localizada a cidade de Macapá.
Montaria
Identifica tanto o cavalo como a canoa pequena, de remo.
Porrudo
Grande, enorme, muito forte ou muito gordo
Boiúna.
Cobra grande, capaz de engolir uma canoa.(Lenda)
Massaranduba
Madeira de lei, pessoa grosseira, mal educada.
Acapu
Madeira preta, gente grossa mal educada.